quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Ano Novo de Roupa Velha, e daí?

Agora, agorinha mesmo, neste exato momento, eu me toquei que não comprei roupa nova para entrar o Ano Novo. Aí pensei: tudo bem, eu uso a do ano passado. Mas peraí, esse ano de 2015 foi "esquisitaço". Essa parada de colocar roupa nova tá meio ligada ao que a gente deseja para o novo ano, e será que eu desejo que essa bagaça se repita?

No geral foi um ano que teve muita coisa ruim, mas para mim foi um ano muito bom. Sério, eu estava meio com medo de pensar na retrospectiva desse ano e até me sentindo culpada de, mesmo fazendo parte de um contexto que não foi bom, me sentir bem.

Mas eu sou do tipo de pessoa que procura ver o lado bom das coisas (quando a situação permite, né?), achar alguma graça ou até fazer graça quando as coisas não estão tão boas. Isso não é para ficar no superficial, nem para fugir, é apenas para deixar esse mundo ao meu redor mais suportável, mais leve, divertido e assim conseguir fazer a minha parte da melhor maneira possível.

Então não vou fazer uma "retrô" pensando nas coisas que me incomodaram, como Cunha a partir de fevereiro (PQP tinha que ser no mês do meu niver?), professores tomando na cabeça, crianças sem aula, Medida Provisória que restringe o acesso a direitos trabalhistas, vergonha alheia com a Carta do Temer (mas nessa eu ri bagaraio com a brincadeira no Twitter), Paris com bomba pra todo lado, Mariana com lama pra todo lado, Facebook com brigas pra todo lado (aqui o jeito foi ficar meio out), terremoto no Nepal, refugiados pelo mundo, Museu da Língua Portuguesa em chamas e micaço no Miss Universo (esse rendeu boas risadas também). Tá já fiz a tal da retrô do terror e acabei ficando como John Travolta em meio a tantas bad memories.

Mas vou parar por aqui e vou focar nas coisas boas que atraem coisas boas. E são coisas boas que eu quero em 2016.




- Viajei de férias com a família e conhecemos dois lugares lindos do nosso Brasil que já eram sonhos antigos: Caraíva e Bonito;

- Tive momentos incríveis com as minhas filhas;

- Fui a shows com o marido;

- Realizei o sonho da Ana Luiza de fazer uma viagem comigo. Tipo só nós duas, que na verdade teve a minha mãe como agregada. Foi ótimo esse encontro de três gerações em Amsterdam e Paris.

- Li livros, vi filmes e visitei exposições o suficiente para me sentir interessante;

- Cozinhei sempre que tive vontade;

- Fiz aulas de pinturas que funcionam como terapia - Isso resume o que são as aulas de pintura com a professora Odila Freire:
"O importante é manter
A mente quieta
A espinha ereta
E o coração tranquilo"


- Fiz algo totalmente inusitado, inesperado e surpreendente. Desfilei para uma loja de joias. Amei. Me achei! Sim, eu desfilei.

- Ri muito e chorei com as amigas. Estive com as amigas de sempre, revi amigas antigas, fiz novas amizades.

- Resolvi contar uns "causos" mostrando como eu escolho rir das minhas trapalhadas do dia a dia na boa. Essas histórias têm feito os amigos rirem comigo no "feicebuqui" e isso me alegra.

- Me desconectei um pouco das redes sociais, mas por outro lado escrevi mais no blog. Isso me deixou mais leve, com menos informação na cabeça, mais concentrada, menos esquecida. Fez bem para a minha memória e para os meus pensamentos.

- Resolvi pendências, cuidei de mim, tive meu tempo e dei um tempo.

- Passeei muito, turistei bastante no Rio, conheci lugares da cidade que eu nunca tinha ido.

- E o melhor e mais importante: Mudei! Mudei de emprego e isso me renovou, me revigorou, me rejuvenesceu, me reenergizou.

"Às vezes é bom recomeçar. Um novo recomeço nos dá a chance de refletir sobre o passado, pesar as coisas que fizemos e aplicar aquilo que aprendemos com isso em nosso novo caminho. Se não examinarmos o passado não aprendemos com ele." Trecho do livro "Auggie e Eu - Três histórias extraordinárias".

Examinando brevemente o ano de 2015 que se passou com tropeço sim, mas com muito aprendizado, e no fim com saldo bem positivo. Eu posso dizer que em 2015 eu atingi a meta e quando atingi, eu dobrei. Então que venha 2016, Ano Novo, não importa a roupa, não importa a cor, porque eu escolho ser feliz.



"Eu te desejo
Não parar tão cedo
Pois toda idade 
Tem prazer e medo
E com os que erram 
Feio e bastante,
Que você consiga ser tolerante
Quando você ficar triste
Que seja por um dia
E não o ano inteiro
E que você descubra que rir é bom
Mas que rir de tudo é desespero
Desejo que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda,
Exista amor pra recomeçar..."

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

São Longuinho, São Longuinho

Se tem uma pessoa que demanda, ocupa, enche o saco mesmo de São Longuinho, essa pessoa sou eu. Todos os dias é um tal de São Longuinho, São Longuinho se eu achar isso eu te dou três pulinhos pra cá, e tome três pulinhos pra lá.




Outro dia o marido queria a minha carteira de identidade e ela estava provisoriamente perdida. Tá certo que já fazia uma semana que eu e a minha carteira de identidade não nos esbarrávamos por aí. Mas é que eu sou muito organizada, sabe? Mas muito organizada mesmo. Sério? Eu adoro definir prioridades pra tudo. Inclusive já passei a lista de prioridades para São Longuinho: primeiro os óculos, pois sem eles São Longuinho vai ter mais trabalho para me mostrar os achados, segundo o celular, depois o cartão do metrô, o cartão do banco, o livro que estou lendo e depois a identidade. Daí dá para entender porque a identidade ainda estava brincando de esconde-esconde. Ah, e por que o livro é mais prioritário do que a identidade? É que da última vez que perdi o tal documento eu o encontrei dentro do livro da vez. Aí fui obrigada a fazer uma revisão na lista de prioridades de São Longuinho.

Eu também já agilizei um pouco a parada com São Longuinho. Quando começo a acordar, naquele momento que estou espreguiçando, ainda sem abrir os olhos, já vou pedindo: São Longuinho, São Longuinho, se eu achar os meus óculos eu te dou três pulinhos. E não é que quando eu abro os olhos já vejo os óculos na mesinha de cabeceira? Daí já sigo para o banheiro em três pulos de canguru.

Também já fiz um acordo com ele, tipo um contrato guarda-chuva sabe? Bem assim: São Longuinho, São Longuinho, é pra você achar tudo que eu perder antes d’eu dar falta, então já vou dar 33 pulinhos diariamente para deixar a minha conta com crédito. Tá certo? Combinado? E é por isso que todas as manhãs eu já escovo os dentes dando trinta e três pulinhos. Sabe que depois desse acordo eu nunca mais perdi o meu crachá?

Pulo mais diariamente para São Longuinho do que em uma aula de Jump, eu só não entendo porque não emagreço. Caraca! Escrevendo isso eu acabei de ter um insight. Peraí que eu preciso ter um particular com São Longuinho. “São Longuinho eu sei que no nosso acordo eu pedi para você me ajudar a achar TUDO o que eu perdi. Mas peso, São Longuinho, não faz parte desse TUDO, entende? Peso pode ficar perdido por aí. Mesmo que sejam só 100 graminhas, São Longuinho, deixa pra lá, não se dê ao trabalho de trazer de volta não. Como eu sei que não estou facilitando muito a sua vida com a retirada desse item da minha lista, afinal a gente não perde peso assim a torto e a direito, então não vou nem diminuir a minha quantidade de depósito antecipado de pulinhos diários, tá? Vou continuar nos 33. Mas lembre-se nada de achar peso perdido.”.

Voltando para São Longuinho, estava eu indo para o trabalho apressada, quase perdendo a hora, quando olho de relance para a vitrine de uma papelaria e sou atraída por quem? Uma imagem fofa de São Longuinho. Falei pra mim mesma “ah, eu tenho que comprar. Mas... São Longuinho cê num tá me fazendo perder tempo e dinheiro não, né? Lembra que a sua função é encontrar as coisas. E olha o meu lema que é comprar menos para viajar mais...”. E daí veio o pensamento com uma voz que eu imagino ser a de São Longuinho: “Minha filha pense no preju que eu te poupo cada vez que te ajudo achar o celular que você deixou na mesa do restaurante, no balcão da loja, etc.”.

Bom me convenceu, comprei meu São Longuinho, cheguei no metrô e o trem já estava lá paradinho de porta aberta me esperando (e era o trem certo. Uhul!) e nem perdi a minha hora. Só não encontrei o dinheiro, mas para eu achar dindin alguém teria que ter perdido e poderia estar ocupando São Longuinho pedindo ajuda. Melhor, não. Deixa São Longuinho com tempo pra mim.

Agora olhei para o meu São Longuinho e desejei “São Longuinho, São Longuinho se você me ajudar a achar os melhores caminhos em 2016 eu prometo que seguirei por eles feliz e saltitante.”. Que assim seja.

Este foi mais um dos "causos" contados no "Feicebuiqui", bem AQUI.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

15 posts mais lidos de 2015


Chega final de ano e tem calor "duzinferno" no Rio, mas tem férias da galera também. Tem promessas, metas, superstições, mandingas pra todo lado. Tem festas, comemorações e clichês que dão para um ano inteirinho. Tem muita comida, tem gente engordando e prometendo emagrecer no próximo ano. Tem 13º salário, mas tem caixinhas e mais caixinhas, listas de presentes, amigos-ocultos que pipocam mais que milho no micro-ondas. E tem também um tal de fazer retrospectiva pra cá, os melhores do ano pra lá e coisa e tal.

Pensei em fazer uma retrospectiva de 2015, "marnunseinão'. Esse ano foi meio esquisito no geral. Então enquanto não bate no coração a tal retrospectiva, bateu a curiosidade de verificar os 15 posts mais acessados, lidos, curtidos, comentados de 2015. Veja bem, não foi em 2015 e sim de 2015.

Eu até fiz a lista por ordem decrescente de preferência dos leitores, mas achei isso meio "Melhores do Ano" demais. Então resolvi postar aqui por grupos já que fiquei muito feliz em saber que o campeão, campeoníssimo foi um post sobre museu. Fiquei muito satisfeita também em ver que nos primeiríssimos lugares estariam posts sobre livros.


1 - Livros para colorir - Jardim Secreto

Claro que aqui tem a questão do modismo que faz esse post aparecer nas buscas do Google. Mas eu gostei de fazer esse post porque para nós os livros foram mais do que moda. Serviram para fazermos atividades em família. Funcionou mesmo como uma terapia em alguns momentos. A nossa história com esses livros está no link AQUI.




2 - 11 livros para meninas de 10 anos

As pessoas sempre me perguntam o que dar de presente para meninas nessa faixa etária. Muitas me pedem dicas diretamente de livros para essa faixa etária. Então, quando separei os livros antigos da Ana Luiza para passar para a Sofia eu resolvi fazer o post. E foi o maior sucesso! Está neste link a lista. Mais recentemente eu fiz outra lista com 8 dicas de leitura para essa faixa etária, mas o post foi ao ar agora no final do ano e por isso não teve tempo para despontar entre os 15 de 2015. Mas fica AQUI o link de lambuja.





3 - 10 livros para adolescentes

Tá certo que esses livros para adolescentes servem para adultos também. Mas como essa é outra dica que me pedem bastante eu fiz a lista dos livros que a Ana Luiza leu no início do ano. Já dá para fazer outra dos livros lidos no segundo semestre. Para ver o post é só clicar AQUI.




4 - Carteira de vacinação. Perdeu? E agora?

Eu fiquei grilada quando constatei a situação dos registros de vacinação nos postos de saúde do Rio e por isso resolvi fazer um post dando dicas para cuidar da carteira de vacinação dos filhos e o que fazer para minimizar os impactos e trabalho em caso de perda. O post ficou bem legal. É só conferir AQUI. E o interessante foi ver nos comentários que alguns estados do Brasil têm procedimentos diferentes.


5 - 10 filmes para meninas de 10 anos

Sabe quando junta aquele grupinho de meninas em casa? Uma boa maneira de entretê-las é com uma sessão de cinema. E tem filmes que fazem muito sucesso com essa faixa etária. Alguns são clássicos que algumas mães já viram. Confiram a seleção dos filmes escolhidos pela Sofia que fizeram sucesso neste post AQUI. Sabe que eu pedi para um amigo da Sofia fazer a lista se a sessão fosse com meninos e ela veio bem diferente?! Pena que eu não fiz o post. Tudo bem, fica para 2016 a lista dos filmes para uma sessão só de meninos e uma lista para uma sessão mista.



Às vezes a gente gosta de pegar um tema e selecionar alguns filmes sobre o assunto para rever em casa, sentada no sofá, comendo pipoca. E nada como unir dois assuntos que gostamos, né? Foi assim que selecionamos alguns filmes que abordam o tema culinária e tivemos gratas surpresas. A maioria dos filmes indicados na nossa lista é legal para ver com crianças a partir de 10 anos.




Já que falamos de culinária, os posts de comidinhas também apareceram no topo dos 15 mais. Essa torta da preguiçosa é muito fácil de fazer e fica bem gostosa. A receita está bem AQUI.




Gente, esse crumble de maçã foi sucesso na nossa mesa e no blog. Além da receita ser muito boa, o post ficou charmoso com as imagens da receita escrita à mão bem no estilo caderno de receitas da vovó.




Amei participar do projeto #1saladapordia junto com a Lia Agio. As saladas decoradas fizeram sucesso no Instagram, no blog e lá em casa. Foram seis semanas com sete saladas diferentes. AQUI está o link da última semana e nele tem os links dos outros posts.



Eu participei de uma ação da Panna Joias em que eu desfilei. É isso mesmo, desfilei tipo modelete. A princípio eu achei que não conseguiria, mas depois resolvi levar na brincadeira e usar a oportunidade para me divertir. Mas foi muito mais do que diversão, foi um banho de autoestima, uma dose de adrenalina, uma sensação gostosa de ser desafiada e uma satisfação tremenda de sair fora da minha zona de conforto. E agora, eu fiquei muito feliz em ver que este post despontou entre os 15 mais.




Aniversário de filha já é uma alegria pelo o que a data representa. Fazer a festa da filha do jeito que ela quis, de forma simples, sem grandes gastos, tudo preparado junto com ela e, além de alegre e animada, ainda ficar bonita, colorida, descolada, é muita satisfação. Ouvir a amiga da filha dizendo que quer uma festa igual, receber e-mail de mães falando que as filhas queriam que eu montasse a festa delas também me fez muito feliz. E agora ver que o post contando como foi esse momento na lista dos mais lidos me fez reviver um pouco dessas emoções todas. AQUI está o post da felicidade.



Nesse ano de 2015 eu contei alguns causos do meu dia a dia no Feicebuque e eles geraram uma interação bem legal, os amigos gostaram, comentaram, riram e eu me diverti com isso. Como no FB as coisas às vezes se perdem, eu resolvi trazer alguns desses causos para o blog na série "A Pessoa". A ideia era apenas para ficar o registro da história e uma forma mais fácil de localizar, caso quem queira reler. E não é que essas histórias agradaram por aqui também? Gostei de ver que "no final dá tudo certo".



Eu adorei fazer esse post com as dicas de museus no Rio pra gente fazer passeios com as crianças ou sem. Se bem que ele já precisa de uma atualização. Teve Casa de Cultura indicada que fechou, tem museu novo que inaugurou e tem outros que visitei depois de ter feito o post e que merecem entrar na lista. Mas de qualquer forma o post tem muitas dicas legais. E eu fico muito feliz de ver posts com incentivos culturais sendo visitados. 



Este passeio foi realmente muito legal. Inesperado e surpreendente. Muito bom ver que o post que fala desse museu pouco conhecido dos cariocas e superinteressante teve boa visibilidade. Espero sinceramente que tenha revertido em algumas visitas ao Museu de Ciências da Terra. Link AQUI.




15 - Museu do Gato em Amsterdam

Este foi o top dos tops dos posts de 2015. Além de muitas visualizações ele teve 1.900 curtidas no FB. E realmente o museu merece porque é um charme. Vejam só AQUI. Aliás, na minha opinião, todos os posts da viagem a Amsterdam mereciam estar aqui, não desmerecendo os outros, é claro.




segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Findi 52 de 2015 - O último do ano



Gente, o último final de semana do ano de 2015! Parece que foi ontem que eu comecei na BC coisinhas de Findi. Janeiro foi logo ali. Esses 11 meses voaram, as 51 semanas passaram correndo, os 345 dias se foram em alta velocidade. Bom, mas isso é outro assunto e voltando ao último final de semana desse ano, ele foi inesperado, nada planejado e muito leve. Bem como eu quero que 2016 seja: sem metas, sem planejamento, sem expectativas, mas isso também é outro assunto.

Voltando ao final de semana mais uma vez, depois da nossa noite de Natal resolvemos, assim de repente, ir a Cabo Frio levar a minha mãe e passar o final de semana por lá. Saímos em um horário qualquer e bateu aquela fominha no final da estrada. Já que quando chegássemos em Cabo Frio estaria tudo fechado por ser noite de feriado paramos na estrada em um fast food (coisa que nunca fizemos) e comemos ali na mala do carro. Bem road trip. Isso me deu uma sensação de viagem descontraída com grupo de amigos meio ao estilo surf safari. Gostei de viver isso com as filhas.

Mesmo Cabo Frio não sendo nenhuma novidade pra gente, quando estamos por lá eu sempre procuro dar uma turistada. Mas dessa vez ficamos apenas em casa curtindo a tranquilidade.


Entre a Praia do Forte e o Morro da Guia ficamos com a piscina e a vista.


Churrasco em família e fotos.


Sol, leitura e companhia.


Piscina, picolé e carinho.


Muito charme, dengo e preguiça.


Passeio na praia, vento e mar.


Pôr do sol, frescor e liberdade.


Mais passeio, descanso e tranquilidade.


No final da tarde de domingo, ainda em Cabo Frio, o marido avisa que temos uma festa na Barra. Pegamos a estrada ainda de roupa de banho e fomos pra balada inesperada. Mas essa é outra história que eu vou contar.


Este post faz parte da BC Coisinhas de Findi proposta pela Camila do Blog CasaMila.


domingo, 27 de dezembro de 2015

Quarto de menina de 10 anos

Eis que estou eu trabalhando e recebo uma ligação da filha de 10 anos me perguntando se podia dar todas, isso mesmo, to-das as bonecas dela. 

Aí bate aquele aperto no coração tipo, cadê a minha criancinha? Na verdade esse aperto é um grande misto de felicidade por ver a filha crescer no seu tempo e sem pressa com a sensação de que o tempo voou e que perdi algum passo, mesmo eu aproveitando bastante cada fase da vida das minhas filhas.

Ainda questiono: Por que dar todas as bonecas? Guarda algumas! Você tem certeza que quer dar todas?  

Mas a menina está segura. 

- Mãe eu já tenho 10 anos e quero arrumar o meu quarto. Quero que ele fique um quarto de menina de 10 anos.

- Então tá! Separa as bonecas que você quer dar e quando eu chegar a gente arruma o seu quarto. Tá bom?

- Mãe, pode deixar que eu arrumo sozinha. Quando você chegar o meu quarto já vai estar no meu estilo.

- Então tá!

Desligo o telefone e logo em seguida chega pelo WhatsApp uma imagem do quarto para eu me despedir.


Eu fico no trabalho pensando em como estará a tal arrumação do quarto sem a minha participação.

Finalmente as horas passam, eu chego em casa e sigo direto e reto para o quarto da Sofia é assim está. Mais clean e mais menina de 10 anos em diante.


Menos bonecas na decoração e mais livros. Mas o que me deixa mais feliz é ver que as peças que eu pintei para o quarto da Sofia ainda fazem parte dessa nova fase.

Saiu o painel de fotos em formato de coração e entraram as letras.


Fiquei feliz em ver que no estilo dela ainda tem espaço para a minha participação.


Entraram os emoticons bem "modernosos" e permaneceram os porta-retratos que euzinha fiz.


E o melhor, a irmã sempre está presente nas fotos escolhidas para o quarto novo.


O minigaveteiro feito por mim com a ajuda da Sofia também continua lá guardando lembranças e segredos.


O banquinho colore o cantinho.


Entraram lá umas peças que já indicam que a adolescência está batendo na porta.


E algumas lembranças da infância permanecem por ali.



Realmente o tempo passa rápido, mais apressado do que o coelho da Alice, e por isso eu vou ali beijar e aproveitar muito as minhas meninas que me enchem de orgulho.

E o melhor, as bonecas e os brinquedos que divertiram a Sofia foram fazer outras crianças felizes. Como a Sofia mesmo me disse: a gente tem que fazer essa energia rodar.


Outro post sobre quarto de meninas:


sábado, 26 de dezembro de 2015

A Semana 98 - Nosso Natal

A semana foi voltada para as comemorações natalinas e preparativos para a nossa ceia.

Almocei com amigas muito queridas e trocamos lembranças, rimos muito, nos emocionamos, choramos.


E comemos gostosura, é claro. Amizades que encontrei no trabalho, que foram construídas ao longo dos anos e reforçadas a cada experiência compartilhada.


A última pizza do ano com as amigas Simone e Fabíola foi divertida e cheia de histórias.


A nossa ceia ficou gostosa, colorida e foi preparada com a colaboração de todos. 

A Sofia e Ana Luiza fizeram as sobremesas que ficaram tão boas que nem deu tempo de fotografá-las. 


As frutas deram sabor, colorido e frescor a nossa mesa.


O bacalhau recebeu brócolis e tomates para ficar com a cara do Natal.


O Tender, que não pode faltar na nossa mesa, foi decorado pela Sofia e a avó. 


As rabanadas nesse ano foram encomendadas na padaria, mas a Ana Luiza já avisou que no próximo Natal ela volta a fazer a receita dela.


A nossa noite de Natal foi acompanhada de amigos e da família. Quer coisa melhor?

E assim se encerra as semana de 2015 já que a próxima é meio a meio, começa em 2015 e termina já no próximo ano.


Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Feliz Natal


As imagens são as mesmas da mensagem do Natal de 2011. Como são válidas até hoje, vai um repeteco.














Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo