domingo, 31 de julho de 2016

Bolo de Smirnoff Ice






A Sofia adora o programa da Rainha da Cocada, no GNT. Raiza Costa, a rainha da cocada, é descolada, descontraída, o programa é colorido e ela cozinha se divertindo. O programa é gravado em NY e mostra vários cantos interessantes da cidade, como uma feira orgânica itinerante por exemplo. A gente acaba de ver o programa com uma lista de locais para visitar na cidade que nunca dorme, e com uma lista de receitas que queremos experimentar.

Falando nas receitas, a Raiza Costa é adepta da cultura faça você mesmo na cozinha, a conhecida DIY, e nessa linha o programa traz várias dicas de como fazer cream chease caseiro, manteiga caseira, corante caseiro, entre outras ‘caseirices’.


Entre as muitas receitas bonitas e criativas da Rainha da Cocada que a Sofia e a Ana Luiza querem fazer, a escolhida na semana passada foi o cupcake de tequila. A Ana Luiza estava doidinha para fazer essa receita.

E lá fomos nós para a nossa cozinha. Primeiro decidimos que faríamos um bolo e não cupcakes. Também não faríamos a cobertura linda de cactos. A decoração ficaria por conta de flores comestíveis que compramos na feira. De resto seguiríamos a receita, que está AQUI, à risca.


Quando fomos separar os ingredientes nos demos conta de que não tínhamos tequila em casa. Puxa vida! O nosso bolo de tequila não teria tequila... Aí tivemos que dar uma modificada básica. Eu sugeri que colocássemos um pouco de suco de limão siciliano, mas as duas estavam empolgadas em usar bebida no bolo. Tudo bem, não tem problema, o álcool evapora no fogo.


Aí o jeito foi procurar o que tínhamos em casa e encontramos uma garrafinha de Smirnoff Ice na geladeira. Fechado! O bolo então passou a ser um bolo de Smirnoff Ice. Não é mais um simples bolo de limão. Ganhou um toque gourmet. 


Bolo de Smirnoff Ice




Vamos a nossa versão do cupcake de tequila que virou um bolo de Smirnoff Ice



O que elas (Ana Luiza e Sofia) utilizaram:


- 1 copinho de iogurte natural;
- 1 tablete de manteiga sem sal em temperatura ambiente;
- 2 xícaras de farinha de trigo;
- 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio;
- 1 xícara de açúcar mascavo;
- ½ xícara de açúcar;
- 1 limão-siciliano em raspas;
- 5 ovos;
- 1 colher de sopa de suco de limão siciliano;
- 4 colheres de sopa de Smirnoff Ice.


Como fizeram (Ana Luiza e Sofia):

Misturaram os ingredientes secos em uma vasilha: a farinha, o sal, o bicarbonato.
Na batedeira, bateram a manteiga com os açúcares. Acrescentaram os ovos, um de cada vez e as raspas do limão.
Dividiram o iogurte em 3 partes e aos poucos, revezando com os ingredientes secos, adicionaram no creme batido misturaram para incorporar.
Acrescentaram o suco de limão e a Smirnoff Ice.


Colocaram em uma forma untada e levaram ao forno pré-aquecido a 180ºC por aproximadamente 30 minutos.

O bolo saiu do forno lindo, cheiroso, fofinho e muito, mas muito gostoso mesmo. 


bolo de limão de smirnoff ice

sábado, 30 de julho de 2016

A Semana 31 - Encontrando tempo




Esta semana iniciei um horário muito louco de trabalho com plantões alternados entre dias e noites, Isso gera uma necessidade de adaptação na rotina, mudança de prioridades e foco em descansar para conseguir segurar o ritmo.

Confesso que eu fiquei com receio de não encontrar tempo e disposição para fazer coisas além de trabalhar e dormir.

Comecei a semana de folga e aproveitei para ser turista na minha cidade. Fiz o percurso da Orla Conde e contei no blog no post "Um passeio completo pela Orla Conde".


Musei do Amanhã


Fazer turismo na cidade em que vivemos, em que pssamos o nosso dia a dia, em que tudo está ali todos os dias a nossa disposição pode até parecer bobeira, mas vou te contar que é muito bom. Faz a gente ter uma outra relação com a nossa cidade. Relaxa, dá aquela sensação gostosa de férias, descobrimos coisas novas no que parece velho e até conhecemos pessoas. 

No meio deste passeio eu conheci uma canadense que veio ao Rio para ser voluntária nos Jogos Rio 2016. Aquele seria seu último dia livre na cidade já que no dia seguinte começaria a trabalhar na Vila dos Atletas com a delegação da Crácia. Resolvi então levá-la para passear e quando finalizamos a Orla Conde a levei ao Jardim Botânico.


Plantas insetívoras no Jardim Botânico do Rio


Foi uma experiência muito boa. Me senti bem em mostrá-la a nossa cidade, gostei de ver a alegria dela com tudo o que via no Rio e a empolgação em trabalhar no Jogos Rio 2016. Fiquei feliz em ouvi-la elogiando a cidade.

O outro dia de folga eu aproveitei em casa. Levei a Sofia ao inglês, almoçamos juntas, fiquei deitada com a Ana Luiza, fiz compras, encontrei uma amiga, fiz aula de pintura. Coisas rotineiras que eu fiz como se fosse a primeira vez.

Preparei brincadeiras para brincar com a Sofia e nos divertimos bastante. Brincamos. Contei no post "Jogo de bolinha de gude - criança grande também brinca".



Acordei muito cedo, dormi muito tarde, virei noite e procurei levar tudo isso como uma novidade, um desafio a ser superado com leveza e tranquilidade. Que no final vou olhar para trás e ver que tudo valeu a pena.



Em uma tarde que eu deveria estar dormindo para reservar energias para o plantão da noite, não consegui ficar na cama e fui inventar, Fiz desodorante caseiro com a Ana Luiza e estou experimentando a novidade. Se der certo eu mostro a receita.



Nesta primeira semana até que, apesar da loucura do horário, eu encontrei tempo.


Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Experiência das Pedras Grandes - Falando de prioridades com crianças e adolescentes


Eu sempre falo que sabendo priorizar e planejar conseguimos fazer mais coisas com menos estresse. "Quanto mais você se organiza, mais consegue colocar coisas na sua vida". E quando falo de coisas, são coisas boas, como ter tempo para a família, para os amigos, para o lazer, além das coisas"obrigatórias". Coloco obrigatórias entre aspas porque na verdade mesmo as coisas obrigatórias são escolhas. Podemos escolher não fazê-las, mas teremos que pagar o preço das consequências. Como nem sempre estamos dispostos a pagar esse preço escolhemos fazê-las.

Assim ensinei a Ana Luiza a fazer o seu planejamento semanal organizando as atividades, as tarefas da escola, os cuidados com ela e as tarefas em casa. 

E venho ensinando a Sofia também. Ela já faz o planejamento dela sozinha, mas vira e mexe fica em dúvida do que priorizar. 

Outro dia ela chegou me pedindo a seguinte ajuda:

- Mãe, me ajuda a priorizar?
- Ajudo sim. Qual é a sua dúvida?
- O que é mais prioritário? Estudar para a prova de amanhã ou fazer o dever de casa?

Depois de avaliar a quantidade de dever de casa, a quantidade de matéria para estudar, o que para ela era mais difícil e tomaria mais tempo, e ver o tempo que ela tinha disponível, chegamos a conclusão de qual seria a pedra grande e qual seria a pedra menor. 

É importante listar as pedras grande da semana, como estudar para a prova, as atividades fixas, os compromissos inadiáveis da semana (consulta a médicos, dentistas, por exemplo), a festa de aniversário da melhor amiga, etc. Mas é importante também não exagerar nas pedras grandes, né? Não dá para fazer tudo de uma só vez. Limite as pedras grandes possíveis e deixe espaço para as menores se encaixar, para os imprevistos e para descansar.

Se você planejar as pedras grandes direitinho, as pedras menores se encaixarão ao longo do dia e da semana. 

Foi assim que concluímos que estudar para a prova era a pedra grande. O dever de casa estava parcialmente feito e as questões restantes se encaixariam nos intervalos. 

Para ficar tudo mais divertido, ilustrei toda essa conversa com a experiência das pedras grandes:

O que utilizamos:

- 2 porções iguais de pedras de jardinagem (nossas pedras grandes);
- 2 porções iguais de pedrinhas de aquários (nossas pedras médias);
- 2 porções iguais de areia (nossas pedras pequenas);
- 2 potes de vidro iguais.

 Falando de prioridades com crianças e adolescentes

Como fizemos:

Começamos colocando as pedras grandes no primeiro pote.


Experiência das Pedras Grandes


Depois colocamos as pedras médias e verificamos que elas se acomodaram e encaixaram nos espaços vazios.


O terceiro passo foi colocar a areia naquele pote cheio que parecia não caber mais nada. Mas a areia foi encontrando espaço entre as ouras pedras.

Falando de prioridades com crianças e adolescentes

Todo o volume que separamos coube perfeitamente no primeiro pote.
Começamos então a preencher o segundo pote como mesmo volume de material. Porém na ordem inversa. Começamos primeiro pela areia, depois pelas pedras médias. O pote ainda tinha bastante espaço livre e parecia que as pedras grandes deixadas para final caberiam perfeitamente.

Isso é o que muitas vezes fazemos no nosso dia. Começamos pelas pequenas coisas diárias que tomam o nosso tempo, achando que ainda temos tempo suficiente para as coisas mais importantes.


Falando de prioridades com crianças e adolescentes

Ao colocar as pedras grandes o que aconteceu? Lotamos o pote e ainda sobrou pedras que não couberam.

Falando de prioridades com crianças e adolescentes

Essa experiência simples mostra que se fizermos primeiro as coisa mais importantes daremos conta delas e as demais se ajustarão. 

Assim é importante fazer a agenda e o planejamento da semana começando a reservar o tempo para as coisas grandes.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Jogo de bolinha de gude - criança grande também brinca


As crianças vão crescendo e os interesses vão mudando, os brinquedos são deixados de lado, mas isso não significa que a vontade de brincar tenha sido esquecida. Tá certo que as brincadeiras também mudam, mas espírito brincalhão ainda pode estar ali dentro daquela criança que está se tornando adolescente.

Eu mesma andava pecando nesse sentido. Vendo a Ana Luiza já adolescente pensando em ENEM, em carreira, e outros assuntos mais, e a Sofia já da minha altura, eu estava deixando as brincadeiras meio que de lado.  Estava focando apenas em atividades mais voltadas para a nova fase, como: cozinhar juntas, assistir séries, ver filmes, fazer artesanato, passear, ir ao cinema, andar de patins, etc.

Algumas vezes eu me lembrava de alguma brincadeira e até me batia saudade de ter filhas pequenas para brincar. Vi outra brincadeira ali e achava que era muito infantil pra elas, que aquilo a gente já tinha feito de uma forma ou de outra, etc.

Vou dizer que me surpreendi na semana passada quando mostrei uns vídeos de brincadeiras de colorir para a Sofia, achando que eram bobinhos para a idade, mas ela ficou toda empolgada para fazermos juntas. Passamos horas bem agradáveis juntas. Nos divertimos muito. Eu contei dessas "brincadeiras sem brinquedo" neste post AQUI.

O momento brincadeira foi tão bom que nesta semana eu repeti a dose. Encontrei aqui em casa as bandejas do aniversário da Sofia e resolvi aproveitar para fazer um jogo muito simples.


O que eu usei:

- 1 bandeja de papelão;
- 1 folha de papel colorida;
- fita adesiva;
- canetinha;
- 1 bola de gude.

Cortei quatro tiras na folha de papel, marquei os postos em cada uma (5, 10, 15, 20), colei com fita adesiva fazendo uma alça de forma que a bolinha de gude passasse por dentro com facilidade. Simples assim.

O objetivo é controlar a bolinha, passá-la pelas alças somando os pontos sem deixar cair da bandeja. Quem somar mais pontos até a bolinha cair, ganha.






Simples assim. Mais uma vez me surpreendi. A Sofia adorou a brincadeira e, em vez de perder o interesse logo pela brincadeira como eu esperava, ela quis criar mais obstáculos e fazer o jogo ficar mais difícil. 

Foi cortando papel e colando, fazendo barreiras e caminhos, e testando.



Conforme aquela etapa ficava fácil, ela fazia novos desafios, mais caminhos, mais labirintos, aumentando a dificuldade.



A brincadeira simples, aparentemente sem graça e muito infantil para a idade e tamanho dela, tornou-se interessante, estimulante e divertida.




O apelo dos jogos de vídeo onipresentes de hoje é muito intenso, os jogos são divertidos, a ação é rápida, os desafios são convidativos. E isso pode nos levar a achar que brincadeiras simples não irão despertar o interesse e apresentar atrativos. Mas, ao contrário, podemos nos surpreender. Muitas vezes uma brincadeira simples é suficiente para atrair a atenção e fazer com que as crianças deixem os jogos eletrônicos elaboradíssimos de lado. Uma brincadeira simples pode ajudar a criança a encontrar o equilíbrio entre o tempo gasto utilizando os dispositivos eletrônicos cheios de apelo e o tempo gasto em atividade independente, criativa e desconecta (nem tanto porque a mãe estava lá querendo fotografar e filmar tudo, né?).

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Um passeio completo pela Orla Conde

Eu aproveitei um dia de folga para fazer o percurso da Orla Conde que liga a Praça da Misericórdia ao Armazém 8 do Cais do Porto. Toda essa área que era ocupada pela via Perimetral que foi demolida para dar vista e visibilidade para frente da Baía da Guanabara.

O percurso de 3,5 km foi arborizado (mas eu ainda acho que podia ter mais árvores), recebeu banquinhos para relaxar e apreciar a vista, deques, espaço para a circulação de pedestres e ciclistas.

Comecei a minha caminhada pela área da Praça da Misericórdia onde fica o Museu Histórico Nacional. Vale a pena visitar esse belo conjunto arquitetônico formado por três prédios de diferentes épocas: a Casa do Trem, de 1762, o Arsenal Real, de 1822, e o Anexo para os quartéis, de 1835. O acervo permanente é bem interessante e sempre tem algumas exposições temporárias.




Fiquei feliz em saber que teremos mais um centro cultural que fará parte do atual corredor cultural, o Centro Cultural do Ministério da Saúde que abrirá as portas em breve.




Seguimos pela orla e já me encantei com a cena bucólica dos barquinhos e a Ilha Fiscal ao fundo.




No caminho tem o Restaurante Albamar. Da próxima vez vou planejar a minha caminhada de forma que o almoço seja lá desfrutando do sabor da comida, da vista incrível e de toda história envolvida.

O Albamar é bem antiguinho, foi fundado em 1933 em uma das cinco torres que faziam parte do antigo Mercado da Praça XV do Rio de Janeiro, construídas em 1908. A estrutura metálica foi importada da Bélgica e da Inglaterra. Esta única torre que restou foi tombada em 1962.





A demolição do viaduto da perimetral em 2014 deu à cidade e para quem está caminhando pela Orla Conde um novo ponto de vista para as construções locais.




Possibilita uma vista ampla dos prédios antigos que contrastam com as construções mais modernas.




Neste caminho chegamos à Estação das Barcas que por fazer parte da rotina e correria do dia a dia, sua beleza passa despercebida por muitos. Além da beleza do prédio que lembra as construções dos áureos tempos republicanos, ali estão algumas lojinhas que lembram um mercado antigo, lanchonetes e pequenos restaurantes.




Já no complexo da Praça XV está o Chafariz do Carmo, mais conhecido como o Chafariz do Mestre Valentim ou Chafariz da Pirâmide. O chafariz que foi construído na beira do cais, em 1779, servia tanto para abastecer os navios, quanto à população que por ali vivia. O mar chegava exatamente até este ponto e a chegada da família real se deu bem em frente ao chafariz. Era por essas escadas nas laterais da torre que os passageiros que desciam dos barcos seguiam para a Praça XV.





Eu já estive em alguns eventos de final de semana na Praça XV e a área fica cheia de crianças andando de skate. Fui pesquisar e descobri que ali é o atual reduto dos skatistas. E foi em homenagem ao Dia Mundial do Skate que o “Piskate”, escultura produzida pelo designer gráfico e skatista Jorge Cupim, foi instalado por lá. O skate gigante de sucata foi feito com chapas de ferro prensadas e rodas de pneus de carro encontradas em um ferro-velho. Fui lá tirar uma onda de skatista.
Quem manda a minha amiga não tirar foto boa?! Agora é a foto dela que vai ilustrar o post.



Seguindo o nosso caminho o próximo destaque da Orla Conde é o Paço Imperial. Gente, fui procurar no blog um post sobre o Paço e me dei conta que não tem. Já visitei o local diversas vezes, fiz várias citações a ele, mas nunca um post exclusivo. Preciso providenciar isso. Afinal, além de belíssimo, de ter uma livraria charmosa e dois cafés deliciosos, de ter exposições temporárias bem interessantes, o Paço Imperial é um importante prédio histórico da nossa cidade. Foi ali que em 1822 o então Príncipe Regente D. Pedro anunciou sua recusa de voltar a Portugal, episódio conhecido como o Dia do Fico. Também foi em uma das salas do Paço que a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, dia 13 de maio de 1888.




Da Praça XV o caminho natural será seguir a Orla Conde passando pelo Espaço Cultural da Marinha até a nova praça em frente ao CCBB, na Candelária, passando também pelo Centro Cultural dos Correios e Casa França Brasil. No momento esse trecho está em finalização com promessa de liberação no próximo final de semana, dia 31 de julho.

A Ana Luiza e a Sofia já fizeram o passeio ao Espaço Cultural da Marinha com a escola. Eu mesma nunca fiz a visita ao espaço que tem muita história e diversas atrações interessantes, como o Submarino-museu Riachuelo e um helicóptero da marinha, estes dois abertos à visitação pelo interior e a Nau do descobrimento. Outra atração do Espaço Cultural da Marinha é o navio-museu Bauru que foi construído e utilizado pelos EUA até 1944, quando foi transferido para a Marinha do Brasil, É possível visitar seu interior e conhecer um pouco das instalações e de como era o cotidiano dos marinheiros.
É de lá que sai outro passeio bem legal, a visita à Ilha Fiscal.

Fui buscar uma foto do passeio escolar e matar as saudades de quando elas eram pequenas.



Já os três centros culturais, nós somos fãs de carteirinha. Estamos sempre por lá aproveitando as exposições.

Com este trecho em obras, nós seguimos pela Rua do Comércio até o CCBB e aproveitamos para ver a Exposição "O Triunfo da Cor" - O pós-impressionismo: obras primas do Musée d'Orsay e do Musée de l'Orangerie. Triunfantemente impressionante.


A praça que ficará em frente à Igreja da Candelária e ao CCBB está em fase final de obra com data prevista de inauguração em 31 de julho. Já tenho um motivo para voltar lá.


Deste ponto seguimos pelo trecho que era área restrita da Marinha. O percurso de 600 metros de extensão beira a Baía da Guanabara e completa o corredor cultural ligando o Museu do Amanhã e o MAR (Museu de Arte do Rio) ao CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), a Casa França-Brasil, ao Centro Cultural dos Correios e ao Espaço Cultural da Marinha.

Mesmo com os tapumes da obra já percebemos que a vista está ampla e conseguimos ver o Espaço Cultural da Marinha de um lado.


E após caminhar um pouco avistamos o Museu do Amanhã do outro lado.


Este trecho está bem arrumadinho, com deques, bancos, jardins e muitas pessoas desfrutando.


Conforme vamos nos aproximando da Praça Mauá, o Museu do Amanhã fica mais próximo e mais impactante. Realmente é bonito de ver. E vale muito a pena a visita. 

Chega-se então na nova Praça Mauá com uma visão 360º que nos possibilita ver a beleza do MAR - Museu de Arte do Rio que vale muito a pena conhecer ou simplesmente subir no terraço para ver a vista lá do alto.


Vê-se também a entrada da Avenida Rio Branco com o contraste do prédio RB1 todo modernoso e os prédios antigos do Morro da Conceição, a área da Marinha com o colégio São Bento no alto do morro, o Museu da Amanhã e a entrada do Cais do Porto. Ali na estação do Cais do Porto tem um restaurante, mas eu nunca experimentei.


Para completar o percurso da Orla Conde seguimos o corredor do MAR até o Armazém 8. Os armazéns estão revitalizados, com jardins e árvores plantadas. Ainda vemos alguns resquícios da finalização das obras. 

Eu e a Márcia, amiga que estava fazendo o passeio comigo, nos conhecemos quando trabalhávamos na Xerox nesta área, nos lembramos perfeitamente como aquela área era feia e perigosa, não tinha a menor possibilidade de irmos a pé até a Avenida Rio Branco. Se precisássemos resolver algo no Centro tínhamos que ir de táxi. Na época falávamos que o Porto do Rio podia ser revitalizado e bem aproveitado, como é feito em outros países. Me lembro do quanto fiquei encantada com o Porto de Lisboa. Muito bom ver que estamos mais perto disso.  


O nosso objetivo era ver o maior grafite do mundo feito por um só artista que está deixando a Zona Portuária do Rio mais linda e colorida. O painel do artista paulista ‪#‎kobra‬ representa a diversidade cultural que estará presente no Rio durante os Jogos Rio2016. O painel chamado "Etnias" traz rostos indígenas de nativos dos cinco continentes - conceito dos cinco aros olímpicos. África - representada por uma mulher da tribo Mursi da Etiópia; Ásia - representada pela trico Kayin da Tailândia; Américas - traz a tribo Tapajós do Brasil; Europa representada pelos Chukchis, da Sibéria, e por último a Oceania com o povo Hulis, da Nova Guiné.  A ideia é mostrar que todos somos um.
Lindo! Vale a pena ver e fotografar.



Gostei muito do passeio pela Orla Conde e acho que vale a pena planejar um dia inteiro para fazer o percurso com parada no Museu Histórico Nacional, no CCBB e em um dos Museus da Praça Mauá. Os três pontos possuem restaurante, bistrô ou lanchonete.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Findi 30 - Comida, diversão e arte


Eu não sei bem o que aconteceu com a gente neste final semana, mas bateu uma vontade geral de fazer cozinhar. Só pode ter sido saudades da nossa cozinha que andou em obras por duas semanas. Na verdade a obra não foi concluída, mas a cozinha já está habitável e melhor do isso já está produtiva.

O final de semana começou na feira selecionando os produtos que precisávamos.

O primeiro prato que saiu foi essa travessa de legumes assados no forno. Gente, é inacreditável o cheiro e o sabor desse prato. Usamos batata doce roxa, abóbora, abobrinha, palmito pupunha, tomatinhos, berinjela, cebola roxa, alho, manjericão, orégano, páprica doce, pimenta, sal e azeite.
Ficou colorido, macio e muito gostoso.



Fomos convidados para uma hamburgada na casa de amigos. Para não chegar com as mãos abanando, resolver levar uns agrados para os nossos amigos tão gentis. Afinal gentileza se retribui com gentileza. Preparamos:
- geleia de bacon perfeita para acompanhar um hambúrguer caseiro e muito fácil de fazer. Apenas três ingredientes: bacon, açúcar mascavo e água.
- cebola caramelizada na cerveja preta. Fica um molho delicioso, só que leva mais ingredientes, mas é muito fácil de fazer. Depois eu coloco a receita aqui no blog.


Aí as filhas quiseram fazer um bolo. Elas queria experimentar a receita dos cupcakes de tequila da Rainha da Cocada. A Sofia ama esse programa e quer fazer todas as receitas. Acontece que não tínhamos tequila em casa. O jeito foi inventar em cima da receita. Seguimos direitinho a receita original e trocamos apenas as três colheres de sopa de tequila por uma colher de sopa de suco de limão siciliano mais quatro colheres de sopa de Smirnoff Ice. 

Sério, o bolo ficou muito bom, além de lindo.

Apenas lembrando que o álcool evapora quando levado ao fogo. Então não tem problema crianças do tamanho das minhas filhas comerem bolo com essa dose irrisória de bebida alcoólica.


A noite começou na sala e com muitos risos entre amigos. 


Mas acabamos indo parar na cozinha para fazer Funnel Cake, aqueles bolinhos famosos da Disney que nada mais são do que os nossos bolinhos de chuva em outro formato e com cobertura. Quem quiser saber como faz, tem receita AQUI no blog.


Já estava tarde, mas para quem tem filha adolescente ainda tinha serviço por fazer. Buscar a filha na festa de aniversário da amiga. Enquanto os ponteiros do relógio não chegavam na hora combinada, assisti com o marido o filme "A Escolha", que foi um dos 16 filmes de 2016 para ver com filhos adolescentes que eu indiquei no post de mesmo nome. Romance água com açúcar que dá para distrair e relaxar.



No domingo voltamos nós para a nossa tão querida cozinha. É dali que sai tanto afeto e carinho.

A Ana Luiza preparou palmito pupunha e tomates assados no forno enquanto eu fazia uma salada de quinoa. Essa eu postei a receita no Instagram @inventandomamae. Está bem AQUI.

Os nossos preparados do dia foram servidos com os legumes que sobraram do dia anterior e peixe grelhado. Tudo bem leve para compensar a noite anterior regada a hambúrguer e funnel cake.


No final do dia fomos caminhar na Praia de Copacabana para aproveitar a orla fechada para carros e aberta para lazer. Passamos nos Aros Olímpicos para registrar esse momento histórico e na loja do Rio 2016 para dar uma olhada nas coisas. Aí quem estava lá? O fofo do Vinícius, o mascote do Jogos Olímpicos Rio2016. Não resistimos e fomos lá fazer uma foto com ele.  



Foi um final semana cheio de memórias afetivas criadas no ambiente acolhedor que é a cozinha de um lar. Ali se criam relações, aprendizado social, emoções. Cozinhar em família, apesar de ser uma atividade rotineira e básica, constrói momentos afetivos bem poderosos. 


Este post faz parte da BC Coisinhas de Findi.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Filme O Bom Gigante Amigo



Nesta semana eu e a Sofia estivemos na #cabinedeimprensa do filme "O Bom Gigante Amigo", da #Disney.

O longa é baseado no livro de mesmo nome, de Roald Dahl que é famoso por suas obras infantis que também já foram adaptadas para o cinema, como "A Fantástica Fábrica de Chocolate", "Matilda", "As Bruxas" (que para nós é o filme "Convenção das Bruxas"). O roteiro é de Melissa Mathison (a mesma do filme E.T.) e a direção de Steven Spielberg. Com tanta gente fera envolvida, não tem como não sair um filmaço, né?



E a história de amizade entre Sophie, uma menina de 8 anos que vive em um orfanato e que acredita que às 3 hora da madruga é que é a hora das bruxas, e um gigante é emocionante e envolvente.

A amizade entre duas pessoas tão diferentes, mas com tantas semelhanças, começa de forma inusitada. 

Sophie é raptada pelo gigante no meio da madrugada, quando na verdade deveria estar dormindo.



Sophie é levada para a Terra dos Gigantes. Lá tem nove outros gigantes daqueles que gostam de comer carne humana, mas o gigante que raptou a menina é diferente. Ele é vegetariano, é o menor dos gigantes (tem apenas 7 metros), tem um modo de falar atrapalhado e é rejeitado pelos demais.




O Bom Gigante Amigo passa seu tempo caçando e distribuindo sonhos para as pessoas enquanto elas dormem.

É desse convívio que nasce a amizade sincera, o sentimento de proteção respeitando as diferenças. Juntos eles montam um plano para impedir que os ouros gigantes continuem fazendo maldades. Do plano que envolve até a rainha da Inglaterra surge mais uma amizade pouco provável entre a dupla e a rainha. 

O filme é cheio de efeitos especiais e tem uma trilha sonora bem legal. E ainda tem a fofíssima atriz Ruby Barnhill que faz a pequena Sophie, uma menina esperta, inteligente e sensível.

Este é um filme que vale muito a pena ver nas telonas. 



domingo, 24 de julho de 2016

A Semana 30 - inteira e não pela metade


Para começar a semana com mais amor e com isso gerar uma energia boa de carinho e disposição, caprichamos no café da manhã. É impressionante como uma surpresa simples faz toda a diferença no decorrer da semana, como impulsiona de forma positiva. Pelo menos aqui, pra gente, funciona muito bem.


Fui com as amigas do trabalho almoçar no Empório Jardim (falei deste restaurante no post "Um dia de folga no Jardim Botânico"). Fazer do horário de almoço um tempo de lazer faz toda a diferença no meu dia. Afinal, eu não quero só comer. Eu quero comida, diversão e arte. Os pequenos prazeres aliviam as tensões e proporcionam tranquilidade para os próximos compromissos do dia.


Fui comemorar o aniversário de uma amiga do antigo trabalho e levei uma amiga do trabalho atual. Eu gosto de fazer essa integração com os meus amigos. Misturá-los. Gerar novos círculos. A amizade que circula traz boas vibrações e novas histórias.


Aproveitei que eu tinha que resolver algumas pendências no centro e fui almoçar no V Festival do Passeio Público. Assim eu podia comer rapidinho sem sentir a pressão e o estresse que a pressa gera, já que iria aproveitar para entrar nessa praça que sempre me chamou a atenção, despertou a minha curiosidade, mas devido ao abandono eu nunca fui. E fiquei feliz em ver que, apesar de ainda precisar melhorar muito, mas muito mesmo, o local está sendo utilizado e desfrutado. Gostei de ver essa cena abaixo com vários turistas estrangeiros sentados no gramado, olhando os mapas, lendo, comendo, conversando com tranquilidade. O Passeio Público é um local superbonito, que pode e deve ser muito bem explorado e usado como lazer pela população. O festival é um ótimo incentivo para a melhoria do Passeio Público. Tem vários food trucks, comidinhas gostosas, música e pessoas circulando por ali.



Fui com a Sofia na #cabinedeimprensa do filme "O Bom Gigante Amigo", da #Disney. O filme que fala de amizade, de proteção e carinho é lindo demais. Nós duas adoramos o filme e as risadas que demos juntas.


Fui com o marido ver o "Musical Mamonas". Nos divertimos revivendo a história e as músicas desse grupo irreverente, inusitado, que saiu fora da caixinha e fez algo totalmente diferente dos padrões e que contagiava com alegria.


Para mim uma das melhores maneiras de manter a energia em alta e a disposição é saindo um pouquinho que seja da "linha de frente" fazendo algo que me distraia e relaxe. Aproveitar o almoço para fazer algo além de comer e continuar pensando no tanto de problemas a serem resolvidos, me dá energia e disposição para focar nas soluções. Aproveitar uma horinha ou outra para estar com as amigas, sair com o marido, me dá energia para lidar com as situações de casa e da maternidade com mais calma, de forma mais positiva e construtiva. Aproveitar o tempo com as minhas filhas, fazer coisas interessantes e divertidas com elas me traz conforto, segurança e motivação para tocar as situações de trabalho. E assim procuro fazer com que cada parte de mim alimente a outra com positividade, procurando ser inteira e não pela metade.


Este post faz parte da BC A Semana que aqui no blog substituiu a BC Pequenas Felicidades.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo