quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Bienal do Livro, Felipe Neto e uma Mãe de Adolescente






Lá em 2011 a pessoa aqui já tinha dito: “Bienal?! Tô fora!” e tinha sido vencida por um pedido da filha que queria ver a Thalita Rebouças que estaria na feira em um dia nublado de feriado de meio da semana. Imagina só?! Praticamente toda a população do Rio de Janeiro sem trabalho, sem escola e sem praia estaria onde? Acrescente aí que neste mesmo dia, estariam também na Bienal Anne Rice, que levantava multidões com seus livros sobre vampiros, e o Pe. Marcelo. Agora nem a mente mais imaginativa conseguiria imaginar a loucura que estaria aquilo lá.

Pedido de filha é algo que seduz a pessoa aqui e faz com que ela mude de opinião facinho, facinho. Então, fui na tal Bienal com o espírito “tá na chuva, se molha e aproveita para pular nas poças”.

Mas saí de lá jurando bem juradinho, tipo de pé junto, que nunca mais me deixaria vencer, seduzir, sucumbir. Que Bienal, nunca mais! Mas nunca mais mesmo! Nunca, tipo never de jeito nenhum.

A pessoa estava bienalmente cumprindo a sua promessa. Já estava até bem tranquila em relação ao assunto. Nem aquele pânico de “lá vem Bienal, lá vem filha me pedir para ir, Bienal chegando, estou ouvindo os passos das filhas se aproximando...” estava rolando mais.

Até que neste ano, já nos últimos dias, Bienal quase chegando ao fim e a pessoa aqui passando intacta pelo megaevento literário, a filha mais nova chega informando que Felipe Neto estaria no último dia da Bienal.

Tá, e daí? E eu com isso? Felipe Neto é escritor também?

O Youtuber famoso entre muitas teens, incluindo a filha amada, lançou um “livrão” que está mais para uma revista e estaria no último dia da Bienal. As bad news, para mim, não paravam por aí. Ele iria tirar foto com os 500 primeiros fãs que chegassem lá.

Tá, e daí? E eu com isso?

Eu não teria nada, nadica de nada com isso, se a partir desta informação encontrar com Felipe Neto e tirar uma foto com ele não tivesse se tornado o sonho da vida da minha filha linda e amada.

De 2011 até 2017 alguns anos se passaram, a pessoa aqui mudou, melhorou, amadureceu, coisas que acontecem com todos os seres humanos. Mas algo continua igualzinho: a pessoa continua facilmente seduzida por pedido de filha e muda de opinião mais rapidamente do que come um brigadeiro.

Então, lá foi a pessoa encarar a loucura da Bienal imbuída do tal espírito “tá na chuva, se molha e aproveita para pular nas poças” e “quem chegar primeiro é mulher do padre” (lembrando que desde que Pe. Fábio de Melo lançou seus perfis nas redes sociais a brincadeirinha de criança mudou a frase).

Saiu de casa cedo, em um horário que para um domingo pode ser considerado madrugada, ficou na fila em pé por duas horas antes da Bienal abrir. Assim que os portões abriram correu feito um guepardo, mais rápido do que correria se a primeira a chegar assistisse Chaning Tatum dançando ao estilo Magic Mike, e chegou na outra fila para pegar uma das 500 primeiras senhas, ficou mais 30 minutos na segunda fila e conseguiu as senhas, viu a filha e a amiga pulando e vibrando de emoção por terem conseguido, correu até a próxima fila das pessoas que já tinham senha, mas queriam fazer a tal foto o mais rápido possível, ficou mais 2h30 em pé nesta fila até a filha fazer a tal foto. 

Felipe Neto na Bienal 2017


E no final das contas valeu muito a pena mudar de ideia, se deixar seduzir pelo pedido da filha só para ver o sorriso dela, sentir a sua alegria e ouvi-la dizer que este foi o dia mais feliz da vida dela.

Bom, mas agora já deu de Bienal para a pessoa aqui. Bienal, nunca mais! Mas nunca mais mesmo! Nunca, tipo never de jeito nenhum.


PS: eu adoro ler, incentivo a leitura, acho que eventos como a Bienal são importantíssimos e incríveis, fico feliz em ver o público interessado e participativo. Porém, as feiras já ficam cheias o suficiente e a minha presença não vai fazer a diferença. O meu incentivo e estímulo à leitura e autores fica por conta de idas frequentes a livrarias, participação em lançamentos, fazendo troca e doação de livros.




Você pode me encontrar também
A Autora:
Chris Ferreira

Chris Ferreira

Eu, uma mãe integral mesmo trabalhando em horário comercial, que procura equilibrar os diferentes papéis da mulher com prioridades e alegria.

Acredito que podemos levar a vida a sério, mas de forma divertida e é isto que eu tento mostrar no blog.

Google +

Um comentário:

  1. Ir para a bienal num dia mais tranquilo é uma delícia! Da pra passear com calma, sem multidões te atropelando! Eu recomendo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo