sexta-feira, 22 de maio de 2015

Parque Lage que poucos conhecem - Trilha das Cachoeiras


O Parque Lage é um passeio clássico, quase obrigatório, aqui no Rio. Além de ser lindíssimo, é carregado de história e contato com a natureza.


O passeio tradicional pelo Parque Lage passa por atrações como o Palacete, os jardins, o aquário, as grutas artificiais, a torre, o Lago do Patos e o parquinho, que as crianças amam.


Mas no Parque Lage tem algo mais que poucos conhecem: as trilhas. Bem ao lado da torre (castelinho), que as minhas filhas diziam que era a torre da Rapunzel, tem a escada que leva a entrada da trilha para o Corcovado.


Quem quiser seguir por esta aventura precisa passar na casinha da guarda e comunicar que a subida.


Os nossos dados serão anotados e receberemos um mapa com instruções para seguir até o Corcovado por um caminho bem demarcado, entre a mata


e acompanhado por muitos macacos-prego.


Nessa trilha para o Corcovado tem um atalho, não anunciado, nem sinalizado, que leva as cachoeiras.
Logo na primeira plaquinha que indica que a tralha para o Corcovado segue à esquerda, nós seguimos em frente.


Rapidamente encontramos um córrego que servia para a antiga fazenda de café. Nessa semana ele estava com pouca água, devido ao grande período de seca e as poucas chuvas que tivemos durante esse ano.


Mais adiante nos deparamos com essa construção de 1886 que, segundo a história do parque, servia de bebedouro para os cavalos na época em que a área servia como fazenda, antes de ser reflorestada.


Seguimos pela trilha e encontramos a primeira queda d'água, também com uma construção de 1886.


É uma pena vê-la assim com tão pouca água. Mas vale a aventura.


O lago que gera a queda acima também estava com pouca água, mas dá para perceber a transparência e contemplar a natureza ao redor.


Com flores e borboletas que eu não consegui fotografar.


Seguindo adiante, a trilha tem um momento mais escorregadio, mas é tranquila. Sempre tem cipós e troncos de árvores pra gente apoiar. Crianças a partir de uns cinco anos já tiram de letra.


Aí chegamos a segunda cachoeira. Essa já é um maior, escorre de uma grande pedra e tem três platôs.


Um local gostoso para se refrescar, relaxar,


observar a natureza e o visual. Daqui, deste ponto, já conseguimos ter uma vista bem legal da Lagoa Rodrigo de Freitas. 
Aqui também vimos, além dos macacos e micos, muitos pássaros. Este arbusto florido estava repleto deles.


Depois do descanso seguimos na trilha para a próxima cachoeira.


E depois de caminhar por uma subidinha, por no máximo cinco minutos, já conseguimos visualizar a queda ao final da trilha.


Mesmo com a falta de água, esse poço está maior e dá até para um mergulho bem raso.


Neste ponto a vista também é linda. Podemos ver a Lagoa Rodrigo de Freitas e um pouco do mar de Ipanema.


Depois da selfie seguimos o caminho para reencontrar a trilha para o Corcovado. A entrada é bem aí nesta placa de perigo mesmo.
Na verdade este trecho é bem curto e não oferece risco. A placa está aí porque uma pessoa caiu e faleceu neste caminho, mas não se sabe se ela passou mal e por isso caiu. Pessoas já faleceram porque caíram de bicicleta na ciclovia em Copacabana. Toda caminhada, mesmo nas calçadas, oferece algum risco. A questão é estarmos atentos e cuidadosos.


Caminhamos por aproximadamente dois-três minutos e chegamos de volta à trilha do Corcovado. Subindo seguimos em direção ao querido Cristo Redentor, descendo retornamos ao Parque Lage.


Observe que a trilha  do Cristo é sinalizada com placas e setas nas árvores. Deu pra ver a seta amarela marcada na árvore?


Se bater o cansaço podemos fotografar ou até sentar em algum banco de tronco de árvore e fazer uma leitura. Eu amo ler no meio da mata. Imagina contar para as crianças a história de João e Maria sentada aí neste banquinho?


Neste dia eu ainda queria fazer a trilha da esquerda do Lago do Patos. Se continuasse pelo caminho de volta na trilha do Corcovado eu chegaria lá na casinha da guarda novamente e teria que seguir a esquerda para chegar ao Lago dos Patos e depois subir a escada. Então pegar outro caminho. Neste ponto, ao invés de vira a esquerda, seguindo a marcação da trilha do Corcovado, peguei esta entrada à direita.


Caminhei mais alguns minutinhos e já avistei o Lago do Patos lá embaixo.


Aqui no alto, peguei o trilha que para mim estava em frente, mas para quem sobe as escadas é a esquerda.


Esse caminho é bem marcado e tem um fim de linha em um pequeno mirante com vista para a Lagoa.


Na volta o nosso amigo estava lá posando para fotos.


Eu já falei dos nossos passeios ao Parque Lage em alguns posts aqui no blog. Também falei do café da manhã por lá que era muito bom, mas agora houve uma mudança de restaurante e ainda não experimentamos o Café Plage. Mas já gostei da inovação de colocar a barraquinha para quem quiser algum lanche rápido. Eles oferecem sanduíches, refrigerantes, água, saladas e brownie. Eu experimentei o brownie e o sanduíche e gostei.


Vale muito a pena curtir o Parque Lage  por outro ponto de vista e fazer as trilhas, mas é importante alguns cuidados:

1 - fazer o caminho a primeira vez com alguém que conheça;
2 - sempre avisar na casinha que está indo fazer a trilha;
3 - seguir a trilha acompanhado.
4 - levar água. Eu tenho a informação de que podemos beber a água das cachoeiras e eu até bebi, mas o ideal é levar sempre uma garrafinha de água.
5 - passar repelente;
6 - ir de tênis;

Outros posts sobre o Parque Lage aqui no blog Inventando com a Mamãe:


Posts de outros blogs:


quarta-feira, 20 de maio de 2015

Reserva T.T. Burguer

Já fazia algum tempo que eu estava querendo experimentar o hambúrguer gourmet que leva o nome da família Troisgros, o T.T. Burguer que é uma parceria entre Thomas Troigros e Rony Meisler, da Reserva. A galera aqui de casa não é lá muito fã de hambúrgueres e por isso eu fui adiando a experiência, mesmo achando que uma hamburgueria gourmet 100% carioca mereça ser conhecida.

Até que resolvi encontrar com duas amigas para discutirmos algumas ideias e aproveitamos para unir o útil ao agradável. Que tal marcar o encontro em algum lugar que as três quisessem conhecer e ainda rendesse um post para os nossos blogs? E a sugestão saiu de primeira! O Reserva T.T. Burguer da Olegário.


O ambiente é até bem amplo, se comparado com a loja original em Ipanema, lá na Galeria River, point dos surfistas.


A decoração segue bem o estilo Troisgros com bastante ladrilho, madeira e fotos da família dos proprietários e de colaboradores. Tem mesas para grupos maiores, para grupos pequenos.


A decoração é bem legal, descontraída, divertida e descolada.


A atenção e o cuidado com o cliente, além do bom humor, estão presentes em cada detalhe.


Nem preciso dizer que me diverti e fiz muitas fotos com as frases e mensagens que estão espalhadas pela casa.


Em relação ao cardápio eu acho que já deu para perceber pelas fotos que o Ketchup de Goiabada é uma atração da hamburgueria, né?


O cardápio é simples e com poucas variações. Tem apenas uma opção de hambúguer oferecida em dois tamanhos: T.T. Burguer e o T.T. Zão.


Juro que eu fiquei tentada a encarar o T.T.Zão, segurei a minha onda e foi uma escolha mais do que acertada. O sanduba é uma delícia! Também, não poderia ser diferente. É uma receita que está há cinco gerações na família Troisgros e leva 200 g de carne (o T.T. Burguer) em um pão de batata doce fofíssimo (feito por uma padaria no Morro do Alemão), queijo mineiro meia cura da Serra da Canastra, tomates, alface americana, cebola roxa e picles de chuchu (sensacional).



A proposta do T.T. Burger foi criada para que nós, clientes, o experimentemos por completo. Eles realmente ficam muito felizes quando a gente não exclui nadica de nada da receita original. E eu, é claro, não excluí nada. Apenas acrescentei uma carne seca desfiada e bem torradinha. Gente... ficou de comer rezando.

A batata chips também é muito gostosa, temperada com azeite e sal. 


São duas opções de milk-shake, ou melhor, sacode: Nutella e Doce de Leite. Pelas fotos dá pra notar que eu me sacudi no Doce de Leite e adorei!


Para sobremesa nós fomos de brownie da casa, totalmente irresistível. Tão bom que eu levei para as filhas.


As embalagens também trazem slogans bem divertidos.


Apesar da proposta do local ser para lanches rápidos, nós ficamos bastante tempo no local, fomos atendidas com simpatia, nos deliciamos com o suculento e saboroso astro do cardápio, nos divertimos e conversamos muito. Como fomos na parte da tarde encontramos a hamburgueria bem vazia e fugimos das filas da hora do almoço e da noite. Foi uma ótima escolha!

O ambiente é bem jovial, ótimo para adolescentes e pra galera. Mas cabe bem pra família também. No período que ficamos por lá vi algumas pessoas chegarem com crianças e um casal com bebê de carrinho que foi bem recebido.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Findi 20 de 2015

O povo aqui de casa anda em uma fase muito caseira, com preguiça de pensar, planejar e programar passeios. Então, ficamos em casa curtindo o aconchego do lar.

No sábado assistimos ao filme "Pequenos Detalhes" com a Sofia, filme que eu já tinha visto com a Ana Luiza em sua fase pré-adolescente. Ter filhas com essa diferença de idade (seis anos) me dá a oportunidade de reviver as fases.
Limpamos a mansão do Billy Brown, nosso hamster japonês, demos banho na Xina e lemos. Coisinhas tranquilas que feitas em família com companheirismo e cumplicidade se tornam grandes momentos.




Fiz um minicurso de autoprodução e estilo com a produtora de moda Joana Lima Silva e contei com a companhia da Paula, do blog Crônicas de Mamita. Mais do que falar de moda e estilo, o curso falou de autoestima e autoconfiança. Foi ótimo e pretendo fazer um post contando mais detalhes.

À noite fui prestigiar um amigo que se apresentou no teatro e tive a companhia da minha filhota Ana Luiza.


Quando eu saí para o meu curso de estilo, falei que estava com vontade de comer um bolo. E adivinha o que tinha em casa quando eu cheguei? Um bolo de chocolate delicioso feito pela Sofia.
Quando retornei do teatro a Ana Luiza estava com fome e eu preparei tapioca com o recheio preferido dela nesse momento: requeijão, gorgonzola, tomate e presunto de parma. E para minha surpresa o marido tinha preparado uma mesa com queijos, torradinhas, frios e um vinho pra gente.
Me senti muito feliz e grata por ter esse espírito de doação na minha família.



O domingo foi de mais tranquilidade, aconchego e preguiça boa. Vimos o filme "Annie", tivemos um almoço caseiro e bem gostoso de niver da minha irmã.


Comemoração em família!



Mais um final de semana sem grandes aventuras, passeios e gastos, mas muito feliz e relaxante.

Este post faz parte da BC Coisinhas de Findi proposta pela Camila do blog CasaMila.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
▲ Topo