sexta-feira, 13 de julho de 2018

Ilha de Paquetá de Bicicleta

A última vez que eu tinha ida à Ilha de Paquetá as meninas ainda eram pequenas. Foi em um passeio de férias de julho.

O que fazer em Paquetá

Apesar da vontade frequente de retornar a esse recanto de paz e tranquilidade, fui adiando, deixando para outro dia. Tive vontade de ir no Carnaval curtir os blocos que desfilam na ilha. Tive vontade de ir em um dia qualquer só para flanar por ruas de terra, casas de muro baixo e árvores. Tive vontade de ir para voltar no tempo. Mas nada!

Até que agora surgiu a oportunidade de fazer um passeio de bike na Ilha de Paquetá com o grupo do Sou+Carioca. Fui e valeu muito a pena!

Pedalar com tranquilidade sem ter que ter cuidado com os carros, sem ouvir buzinas, sem a tensão do trânsito, sem se preocupar com a segurança, é bom demais. Tipo imperdível!

A curtição do passeio começa com a viagem de barca pela Baía de Guanabara. O trajeto de 15 km da Praça XV até Paquetá dura aproximadamente 1h10min e conta com belíssimas paisagens da Baía de Guanabara e entorno, como Ilha Fiscal, Ponte Rio-Niterói, etc. Vale a sentar na janela para sentir a brisa e apreciar o visual.

Os horários e tarifas das barcas podem ser consultados no site CCR Barcas.

O que fazer em Paquetá

A chagada da barca em Paquetá já encanta e contagia com o clima bucólico.


O que fazer em Paquetá

O desembarque se dá na principal praça da ilha, a Pintor Pedro Bruno. Onde começou o nosso passeio de bicicleta. Apesar de ser possível levar a bike nas barcas, nós preferimos alugar a nosso por lá.

Basta seguir pela rua principal que fica bem em frente a praça que encontramos diversas lojas de aluguel de bicicletas.

Após pegarmos o nosso veículo retornamos para a Praça Pintor Pedro Bruno projetada pelo próprio pintorO busto em bronze em homenagem ao pintor é obra do escultor Paulo Mazzuchelli.

O que fazer em Paquetá

Fotos de cá, fotos de lá e seguimos o nosso percurso inciando para a esquerda da praça. Escolhemos essa direção por ser contrária a que a maioria das pessoas opta.

Seguimos pedalando em direção a nossa primeira parada:

Casa da Moreninha


Casa charmosa, toda rosa e famosa, pois ali foram gravadas as cenas externas das novelas (sim foram duas) de mesmo nome, da Globo. Pena que é uma propriedade particular e não é aberta ao público. Por isso fotos só através do muro de grade.

O que fazer em Paquetá


De lá continuamos pedalando na mesma direção pela rua de terra batida beirando a baía até:

Relógio Mesbla


Réplica em menor escala do relógio da antiga sede da Mesbla, no Passeio. Ali em frente ficava o clube dos empregados da empresa que iam desfrutar as festas de fim de ano.


O que fazer em Paquetá

Nossa próxima parada foi no caminho para o Parque Darke da Mattos, na Rua Manoel Macedo.

Cemitério dos Pássaros


Em algumas cidades a visita ao cemitério faz parte do roteiro turístico. Mas este tem uma curiosidade, é dedicado aos pássaros. Foi por artistas nascidos na ilha e abriga jazigos em miniaturas  onde repousam vários tipos de aves. É muito bem cuidado com plantas, esculturas de pássaros e um “painel poético” com várias placas presas ao muro com trechos de de poemas que falam de pássaros. 

O que fazer em Paquetá


Parque Natural Municipal Darke de Mattos


Aqui estacionamos as nossas bicicletas sem precisar trancá-las. Na ilha não há perigo, e o parque não permite entrar com bikes.
O Parque Darke de Mattos é parada obrigatória em Paquetá. Aliás, eu acho até que este parque merecia um post exclusivo só para mostrar as belezas dele.

Vale caminhar com calma observando as árvores centenárias, as áreas gramadas, sentar em um dos bancos espalhados para aproveitar a sombra e curtir a vista.  

Vale também aproveitar os outros atrativos do parque como o Mirante do Morro da Cruz. Mas antes de começar a subida vale observar os bancos esculpidos na pedra com uma mesinha entre eles. Diz-se que ali os jesuítas realizavam a catequese dos índios.

O que fazer em Paquetá

No alto do Morro da Cruz está o mirante que tem uma vista deslumbrante montanhas, serras e ilhas que circundam a Ilha de Paquetá, a Praia José Bonifácio com a Praia da Moreninha mais atrás e do próprio parque.


Outros atrativos do parque são as grutas e túneis decorrentes da extração do caulim (argila para cerâmicas e papeis), o terraço amplo com lindas vistas para praias e as montanhas que contornam o Rio, uma praia acessada por uma pequena passagem que lembra um covil de piratas, a trilha e mirante do Morro do Vigário, áreas com playground, espaços para piquenique e um jardim enorme e chio de charme para todo lado.


Saindo do parque pegamos nossas bikes que estavam estacionadas e seguimos beirando a mais popular da ilha.

Praia José Bonifácio


Nela estão os pedalinhos coloridos em formato de cisne, alguns bares e também a Casa de José Bonifácio.


Casa de José Bonifácio

Foi nesta casa que José Bonifácio, o Patriarca da Independência, cumpriu prisão domiciliar e passou os últimos anos de sua vida. A casa de chácara foi presenteada a José Bonifácio pelo Imperador D. Pedro I. Quem também circulou muito por ali foi o Imperador D. Pedro II que na sua infância foi educado por José Bonifácio. 
A casa é propriedade particular e não está aberta ao público. Dizem que irá se tornar um museu e aí sim poderemos vistá-la. Por enquanto, fotos só pelo lado de fora da grade. 

Foi em sua homenagem a este personagem importante da história do Brasil que a antiga Praia da Guarda passou a se chamar "Praia José Bonifácio".



O próximo destino seria a Pedra da Moreninha, mas com uma pausa para histórias e lendas na 

Pedra dos Namorados


Localizada na Praia José Bonifácio, no lado oposto ao Parque de Mattos, essa pedra enorme que fica bem na beira da água tem em seu topo várias pedrinhas.

Isso porque reza a lenda que a namorada ou namorado que vier à Paquetá e, em uma de três tentativas, conseguir jogar uma pedrinha sobre a Pedra dos Namorados de modo que ela não role e caia no mar, ganhará com isso muita sorte no amor, vindo a casar-se e ser muito feliz com o seu companheiro ou companheira. Tem gente que dificulta dizendo que as pedrinhas devem ser atiradas de costas.

Bom, eu como sou casada resolvi não tentar. Melhor deixar quieto.  



Bem ao lado, na mesma parada para ver a Pedra dos Namorados está a Ponte da Saudade.

Ponte da Saudade


Uma ponte azul que mais parece um pier e dizem ter um pôr do sol belíssimo. 

Mas nem sempre foi essa ponte de madeira. Dizem que na época da escravidão era uma ponte de pedras. Era neste cais de pedra que os escravos chegavam em Paquetá após quarentena na Ilha de Brocoió.

João Saudade, um escravo muito forte, chamado por seus feitores de João da Nação Benguella, ia ali todos os dias após o trabalho rezar por seus amores Januária e Loreano, filho deles dois. João Saudade acreditava que Iemanjá traria os dois, assim João esperava vê-los chegando naquela "ponte".

Depois de muitos anos de saudade e reza, em uma noite ocorreu um fato estranho: surgiu no céu uma estrela muito grande e muito bela, e os seus raios de luz, iluminando a noite, transformando-a em dia por alguns minutos. Justamente quando o clarão se apagou e noite voltou ao céu, João Saudade, que rezava no cais, havia desaparecido juntamente com a estrela brilhante.

Os escravos passaram a crer que a saudade de João fez com que Iemanjá viesse buscá-lo e levá-lo de volta para suas terras e seus amores. A partir de então o local tornou-se ponto de reza dos escravos na esperança de algum dia também serem levados de volta para a África por alguma estrela. 

Chorei escrevendo essa história!



Enxugando as lágrimas e voltando para o pedal continuamos pela Praia José Bonifácio em direção a Praia da Moreninha para o próximo ponto.

Pedra da Moreninha


Famosa por supostamente ter servido como inspiração de cenário pra o romance "A Moreninha", de Joaquim Manuel de Macedo, considerado o primeiro marco do romantismo na literatura brasileira. 

A pedra é um ponto alto de onde se tem uma vista incrível do mar e parte da orla de Paquetá. O acesso ao topo é por uma escadinha e uma ponte.

Se o romance foi realmente inspirado naquele local ou não, não se sabe, mas sentar ali em cima olhando o mar que se estende até o Rio, dá para se sentir no romance e imaginar Carolina sentada, esperando seu amado Augusto. 


Saindo do romance e voltando para a realidade demos sequência ao nosso percurso com pausa na

Praça São Roque


São Roque é o padroeiro da Ilha de Paquetá. Na praça, que fica em frente à praia de São Roque,  está a Capela São Roque, lindinha e que vale entrar para agradecer e fazer uns pedidos, e o Poço de São Roque.



O poço São Roque tinha água em quantidade e de qualidade. Antigamente abastecia a Fazenda São Roque e posteriormente foi fonte de abastecimento de toda a região do Campo. Hoje encontra-se fechado desde a chegada água encanada na Ilha de Paquetá.

Mas a história dele não fica por aí, tem mais lenda!

"Beba dessa água pensando na pessoa amada
e, por você, essa pessoa ficará grandemente apaixonada…
e se ainda não tem par,
beba um gole só: bem devagar…
e, por você, um coração na Ilha de Paquetá irá se apaixonar…"

Dizem também que a água do poço e curou uma úlcera na perna de D. João e que após este feito milagroso, D. João se tornou devoto de São Roque.

Tá bom de lenda e fomos ver arte. 

Casa das Artes de Paquetá


Eu que amo um Centro Cultural preciso fazer mais um passeio por esse bairro cercado de águas por todos o lados e conhecer a Casa das Artes com calma. Desfrutar do jardim, sentar no café com calma, fazer fotos na escada de mosaicos que acesso ao inspirado nas obras de Gaudi, em Barcelona.


Bora começar o caminho de volta porque a barca de volta tem horário e a barriga já está começando a dar sinais de fome.

Da Casa das Artes é só seguir pela Rua Maestro Anacleto em direção a Praia dos Tamoios.

Parque dos Tamoios


O Parque dos Tamoios é mais um espaço charmoso na chamada Ilha do Amor. Tem área de brinquedos para as crianças. Mas todo o charme está no pergolado azul com pilastras brancas. 

Pedala, pedala 

Baobá Maria Gorda


Um belíssimo exemplar dessa árvore africana que fica no meio da rua, na orla da Praia dos Tamoios. Além de ter centenas de anos e mais de sete metros de circunferência, também rola uma lenda acerca desta árvore.


Neste dia, na hora em que passei pela Maria Gorda, ela estava cercada de pessoas que tentavam abraçá-la. Não consegui dar o meu beijo, nem abraço nela. Mas não resisti, e mesmo este post já estando cheio de fotos, trouxe o registro da gente tentando abraçar o baobá na nossa visita em 2010.



Canhão que Saudava D. João VI


Este canhão em cima de uma pedra, no meio da rua, apontado para o horizonte da Praia dos Tamoios, fazia parte de uma bateria de canhões usada para saudar a chegada D. João VI  a partir de 1808, quando o rei começou a frequentar a ilha.



O povo parou para almoçar no restaurante Quintal da Regina que participa do Comida de Bouteco. Mesmo com fome eu não fiquei para o almoço. Quis adiantar o retorno para o Rio e pegar a barca mais cedo. Me arrependi. Devia ter ficado, saboreado a comida e voltado no horário que pega o pôr do sol em plena Baía de Guanabara. 

Antes de entrar na barca passei na igreja para agradecer e fazer meus três pedidos. Afinal, reza a lenda que cada vez que entramos pela primeira vez em uma igreja temos direito a fazer três pedidos.

Paróquia Senhor Bom Jesus do Monte


Aqui fechei a volta na ilha já que a igreja no estilo gótico, arquitetura encantadora, com um jardim na frente, vista para a baía, e o interior charmoso e claro, fica bem pertinho das barcas, meu ponto de chegada e agora ponto de partida.


Gostei muito de ter feito o passeio de bicicleta ao redor da ilha. Gostei do vi ao retornar à Paquetá depois de oito anos. Na última vez ainda tinham os cavalos e as charretes guiadas por animais. Agora o bairro, sim Paquetá é um bairro do Rio de Janeiro, está mais limpo, mais charmoso, mais organizado. 

Saí de lá com vontade de voltar no próximo final de semana. 





Você pode me encontrar também

terça-feira, 10 de julho de 2018

Pintura - Finalmente o Cabideiro

Eu nunca gostei de cabideiros. Achava um trambolho que ocupa espaço e se torna um depósito de bagunça.

Acontece que o meu marido adora cabideiro. Adora mesmo! Do tipo de querer um cabideiro em cada cômodo da casa. Realmente eu não entendo essa mania dele de cabideiro!

Assim que viemos morar onde moramos hoje, para minimizar a questão dos cabideiros, eu pedi para a minha amiga arquiteta desenhar uns cabideiros estilizados para os quartos. Algo colado na parede, chapado, que não ocupasse espaço, nem desse muito espaço para as bagunças. Assim ela fez. Ficou bonito, modernoso e discreto.

Mas não aplacou a mania de cabideiro do marido. Com o passar do tempo os tais foram brotando aqui em casa.

O primeiro foi justamente no meu quarto e enfrente do cabideiro estiloso, discreto e exclusivamente desenhado para nossa residência.

Cedi ao primeiro. Pronto! Vieram outros.

Recentemente ele chegou com mais um, o quinto cabideiro. Este seria para a varanda. Um enorme!

Já que não tinha jeito. O cabideiro tinha chegado para ficar, resolvi pintá-lo. Dar cor e colorido para a peça.

E não é que me apaixonei?!

Gostei tanto que resolvi deixá-lo na sala. Assim, quando as visitas chegarem com bolsas, casacos, sacolas, não precisam mais descarregar em cima do sofá e a gente ficar espremida, conversando entre esses montes de objetos. Nem descarregar na minha cama. Deixam no cabideiro! Penduradas!


Pintura de cabideiro em madeira

Mas cabideiro não é coisa fácil não. Não foi fácil de pintar e muito menos de fotografar. Mas ficou lindo!

Como o "bichinho" é bem grande, a foto inteira fica distante. Então, fiz algumas fotos em parte.

Pintura de cabideiro em madeira

Sabe aquela coisa de orgulho e querer mostrar os detalhes?!

Pintura de cabideiro em madeira


Estou bem exibicionista do meu cabideiro antes rejeitado por mim e agora meu queridinho.

Pintura de cabideiro em madeira

Ele tem detalhes e acabamento inclusive nas partes que não ficam expostas, como o topo.

Pintura de cabideiro em madeira

e as partes debaixo.

Aprendi, inclusive, que este disco no meio do cabideiro não é apenas um depósito de poeira. É para pendurar guarda-chuvas.

Para sentirem o nível de paixão da pessoa aqui por seu cabideiro, eu até estou gostando de alisar este aparador de guarda-chuvas como se fosse tirar a poeira. Mas na verdade eu quero mesmo é fazer um carinho na minha obra de arte.

Pintura de cabideiro em madeira

A paixão pelo meu até então visto como porta-bagunça me incentivou a pintar alguns cachepôs para serem pendurados nele.  Fofo, né? Mas isso eu vou mostrar em outro post. 

Pintura de cabideiro em madeira

No momento estou achando que me tornei aquilo que eu mais temia: a pessoa que ama cabideiros.

Já estou com vontade de pintar outro.

O cabideiro foi pintado na aula de pintura em madeira no Atelier Odila Freire com a orientação da própria Odila Freire.

Para ver as outras pinturas que fiz e postei é só entrar na tag Artesanato (pode clicar neste link)




Você pode me encontrar também

segunda-feira, 9 de julho de 2018

A Semana 27 de 2018 - Observei, Contemplei e Relaxei



Como sempre nas minhas semanas procuro te um olhar para as coisas que me fazem bem, me relaxam, me conectam com o que realmente importa, sem preocupação, sem obrigação para com isso. Apenas deixo fluir. 

No sábado lindo de sol e temperatura agradável, ótimo para curtir o dia, o ar livre e o contato com a natureza, a família era unânime, ou quase, em querer ficar aproveitando o aconchego do lar. Coisa de adolescente que quer dormir a manhã inteira. Assim, parti eu para um passeio solo. Saí, enquanto todos ainda dormiam, para caminhar no Parque do Penhasco Dois Irmãos

Andei com calma, no meu tempo, parei quantas vezes eu quis, tirei as fotos de todos os ângulos que achei interessante. Observei, contemplei, relaxei.



A Ana Luzia já tinha visto a animação "Os Incríveis 2" logo na semana de estreia e gostou. Aproveitei a folga pelo jogo do Brasil na Copa do Mundo para ir com a Sofia e uma amiga. Um programa meninas e pipoca!

Essa família de heróis clássicos de desenho animado é mesmo incrível. Mesmo em um desenho animado cria identidade com famílias reais e seus problemas como desemprego, tarefas domésticas, filhos adolescentes e suas crises típicas da idade, divisão de tarefas, as demandas que um bebê traz para a família. 

"Os incríveis 2"  traz bem forte a temática dos papeis do homem e da mulher na família. Neste novo filme da família cheia de superpoderes é a Helena, a mãe, quem vai para as ruas ganhar o pão. Ou seja, viver as aventuras heroicas enquanto o maridão Beto, assume os cuidados da casa e dos filhos.


Aproveitei um intervalo de almoço para caminha pela Cinelândi observando as fachadas das construções. O foco foi a Biblioteca Nacional que ficou um bom tempo escondida por tapumes devido a obra de restauração da fachada. 

Agora já podemos passar por ali e nos encantar com a beleza do prédio que está mais bonito ainda. Além da cor original que foi recuperada, descobriram que por baixo da tinta preta estavam portas de bronze cheias de detalhes. Claro que fui lá conferir essas portas e fazer algumas fotos que postei no Instagram.


Continuei a caminhada e parei para almoçar no café do Centro Cultural da Justiça Federal Das coisas simples que me fazem bem: sentar para almoçar sozinha no café de um centro cultural e ficar apenas observando o vai e vem. E foi o que eu fiz! Observei, contemplei, relaxei.

Dando continuidade às comemorações do aniversário de uma amiga tivemos um início de night. Bem início mesmo. Mais para happy hour do que para night. m com as amigas. Foi rapidinho. Só uma Marguerita, alguns passinhos de dança, risos, conversa rápida, mas já foi suficiente pra relaxar e dar alegria.


O meu marido me indicou o filme "Gostos e Cores" que está disponível na Netflix dizendo que eu iria gostar. Ele já acertou ao me indicar uma comédia romântica francesa. Ainda mais se tratando de uma história que faz pensar sobre questões como opção sexual, racismo e religião. 

A trama conta a história de Simone que faz um casal com Claire. Apesar de viverem há três anos uma relação tranquila e estável, Simone ainda não conseguiu contar para a sua família judia tradicional. Sua mãe dramática, seu pai tradicionalista e seu irmão mais velho que está sempre tentando fazer com que conheça homens, tornam difícil para Simone viver abertamente. As coisas ficam ainda mais complicadas quando ela, apesar de aparentemente partilhar de uma felicidade plena com Claire e estar absolutamente segura de sua escolha sexual, se apaixona pelo chef senegalês Wali, graças em parte às suas habilidades culinárias. Dividida entre Claire, Wali e sua família, Simone terá que fazer escolhas difíceis

Uma história “fresh, fun and french” que fala de família, religião, preconceitos, tradição, rótulos, padrões adotados e escolhas e defende a liberdade de amar apesar de tudo o mais. E como diz o ditado popular gostos e cores não se discutem.

Gostei de ver que ele, o marido, realmente conhece o meu gosto para filmes. Me joguei no sofá e observei, contemplei, relaxei.



Mais uma comédia francesa! Desta vez assistida com a Ana Luiza. Nós duas deitadas na mesma cama e rindo juntas. O filme escolhido foi "Eu Não Sou Um Homem Fácil". Um filme que usa a comédia para fazer uma crítica ao machismo e mostrar as dificuldades de se viver na sociedade machista que vivemos. 
Mais uma vez observei, contemplei e relaxei. 


A semana ficou mais curta em dias úteis por causa dos jogos do Brasil. Isso gerou uma certa correria. E correria é um gatilho fácil para estresse. E justamente por isso, para evitar esse estresse, que eu procurei colocar esse olhar mais contemplativo, mais relaxante por alguns minutos dos meus dias. 

Este post faz parte da BC #ReolharAVida proposta pela Elaine Gaspareto que veio substituir a BC #52SemanasDeGratidão que em 2017 substituiu a BC A Semana que por sua vez já tinha substituído a BC Pequenas Felicidades.




Você pode me encontrar também

terça-feira, 3 de julho de 2018

Passeio pelos Rios Paraná e Iguaçu em Foz do Iguaçu


Um dos passeios que eu tinha me programado para fazer em Foz do Iguaçu, era o passeio de catamarã no lago da represa da Usina Binacional de Itaipu, preferencialmente para ver o pôr do sol que dizem que é belíssimo.

Chegando em Foz, ficamos sabendo de uma passeio recente, também de catamarã, mas nos rios Paraná e Itaipu. E que também tem a opção de ser feito ao final da tarde para contemplar o pôr do sol. 


O que fazer em Foz do Iguçu

Escolhemos então, fazer este pelos rios. Achamos mais emocionante e que teríamos a oportunidade de ver os rios por outro ponto de vista, estar no Marco das Três Fronteiras  por outro ângulo.


O passeio sai do Cataratas Iate Clube onde embarcamos no Kattamaran II, um barco com capacidade para 250 pessoas e espaço tanto interno, quanto externo.

O que fazer com crianças em Foz do Iguaçu

Nós optamos por ficar na parte externa e assim apreciar mais de perto toda a natureza exuberante dos rios, sentir o vento, o cheiro, o som.

Passeio de Kattamaran II em Foz do Iguaçu

O passeio saiu do Cataratas Iate Clube e seguiu as águas aparentemente tranquilas do Rio Paraná até a Ponte da Amizade que liga a cidade de Foz do Iguaçu no Brasil e Ciudad del Este no Paraguai.


Melhores Passeios em Foz do Iguaçu

Com o entardecer, o visual da ponte sobre o rio fica mais encantador. 

Melhores Passeios em Foz do Iguaçu

Dali retornamos em direção ao ponto de encontro do Rio Paraná com o Rio Iguaçu, exatamente no Marco das Três Fronteiras dos três países (Brasil, Argentina e Paraguai) ao mesmo tempo.


Melhores Passeios em Foz do Iguaçu

A partir daí navegamos nas águas do Rio Iguaçu até a Ponte da Fraternidade que faz divisa entre Foz do Iguaçu, no Brasil, e Puerto Iguazu, na Argentina.

Quanto chegamos embaixo da ponte, daquela que tínhamos atravessado de carro, o sol já tinha se posto e tivemos a sorte de ser brindados com uma lua cheia deslumbrante surgindo no céu.

 Embaixo da ponte é feito o retorno e o jantar começa a ser servido no percurso de volta até ponto de embarque e desembarque.

O ambiente no barco é agradável, espaço bom, a comida é boa e bem servida.

Melhores Passeios em Foz do Iguaçu

Após uma hora e meia de passeio gostoso, tranquilo, com visual incrível e bem diferente, desembarcamos felizes e achando que valeu muito a pena. 

Melhores Passeios em Foz do Iguaçu

Nós fizemos o passeio através do nosso receptivo. O passeio também é oferecido nas recepções dos hotéis.

Horários:
Saídas do porto todos os dias: às 11h30, 14h30 e 18h30
Informações e reservas:
(45) 3527-1444

Outros passeios que fizemos em Foz do Iguaçu:

- Marco das Três Fronteiras;




Você pode me encontrar também

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Passeio ao Parque do Penhasco Dois Irmãos


Já tinha um bom tempo que eu não ia dar um passeio pelo Parque do Penhasco Dois Irmãos. Acho que a última vez foi quando a Ana Luiza estava na onda de ser fotógrafa e escolhemos alguns locais do Rio com cenários deslumbrantes para ela praticar o olhar. Olha que isso foi em 2012, o post está aqui para confirmar: "O Rio dos Mirantes".

O que fazer no Rio com crianças e adolescentes

Neste final de semana me deu vontade de voltar neste paraíso escondido no final do Leblon. O local é realmente lindo, um poço de tranquilidade. 

Comecei a subida pela rua Aperana e fui seguindo a pista. Vencido o trecho inicial e corpo já aquecido cheguei ao protão principal onde está o primeiro mirante, o Mirante Orla. 

O que fazer no Rio com crianças e adolescentes

Nele está a homenagem aos passageiro do voo da Air France que caiu no trajeto Rio-Paris,


A vista é incrivelmente tranquilizadora. Alguns cariocas costumam levar cadeiras e ficar ali contemplando as Ilhas Cagarras a frente, os pássaros no céu, e lendo com tranquilidade.

Melhores parques do Rio

O Mirante do Leblon logo abaixo e a Praia do Leblon à direita seguindo a vista até o Arpoador. 

Melhores trilhas do Rio

Depois de descansar as pernas, tomar fôlego, beber água e relaxar com esse visual, segui a subida, observando as delicadezas da natureza ao redor.

Passeios escondidos no Rio


 Até a próxima parada na Arena. 

Melhores passeios do Rio

Mais um mirante com vista para o mar e para o morro que dá nome ao parque.

A arena é um espaço para pequenos shows e apresentações. Seguindo pelo lado direito tem um trilha por dentro da Mata Atlântica que corta caminho na descida até o portão principal. Mas quem não conhece, não vale a pena arriscar,



Como eu estava subindo, segui o meu caminho na direção do penhasco.

Quase desfalecida, me arrastando, enquanto uma mulher passava por mim correndo, cheguei na área onde fica a administração do parque, o jardim muito bem cuidado.

Melhores parques do Rio

Neste espaço também está o estacionamento, o parquinho e a área para piquenique.

Melhores Parques do Rio

A vista ali é lindíssima, mas ainda não é tudo o que temos para nos deslumbrar. 

Melhores trilhas no Rio

Passando pelo prédio da administração tem uma escada. E é ela mesmo que devemos subir mesmo que as pernas estejam bambas.

O que fazer no Rio com crianças e adolescentes

Após vencer os lances de degraus chegamos ao Mirante Lagoa. Um espaço aberto, arborizado, bem ao pé do penhasco do Morro Dois Irmãos

O que fazer no Rio com crianças e adolescentes

Com duas áreas de mirantes.

O que fazer no Rio com crianças e adolescentes

Uma com vista para o Cristo Redentor, Lagoa e Hípica, e a outra para o mar e a Praia do Leblon e Ipanema.

O que fazer no Rio com crianças e adolescentes



Como chegar ao Parque Penhasco Dois Irmãos:
O parque fica no bairro do Leblon e o acesso é pela Rua Aperana tanto para quem vai a pé, quanto para quem vai de carro.
Outra opção é pegar um táxi até a parte mais alta do parque, a área da administração, e fazer o trajeto descendo.

Serviço:
Funcionamento: de terça a domingo das 08 às 17hs.
Entrada gratuita.
Estacionamento gratuito tanto no primeiro mirante, quanto no alto do parque.

Atenção:
Seguindo o caminho de carro após a sede chega-se em um local aberto e arborizado. A partir dali, pela estrada de terra temos acesso a comunidade do Morro do Vidigal. 

É possível fazer a Trilha do Morro Dois Irmãos e ter a vista lá do topo do penhasco. Eu sempre que faço passeios de trilhas aqui no Rio escolho um guia local para me acompanhar




Você pode me encontrar também
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo