quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Dança aérea essa é a parada



A gente sabe da importância da criança praticar alguma atividade física que ela goste. Desde pequena a Ana Luiza experimentou algumas, mas fora a natação, nenhuma das atividades testadas se tornou uma paixão.

Ela começou a natação com sete meses, comigo dentro da piscina, e esse foi um esporte que ela praticou gostando, com prazer, com vontade de ir, até os 10 anos. Nesse período a Ana Luiza também teve interesse em fazer balé, judô e capoeira. Atividades que ela gostou durante um tempo, mas nenhuma  se tornou aquele esporte pra chamar de meu.

Depois que a natação perdeu a graça começamos a busca por um exercício substituto. Mas qual era a parada da Ana Luiza? Precisávamos descobrir! Retornou ao balé, tentou street dance, pensou em alguma luta, cogitou o tênis e o vôlei, fez handebol e nada da paixão rolar. Até que ela entrou para uma escola de musicais e lá tinha aulas de canto, teatro, dança, trapézio e circo. Foi nas aulas de circo que a Ana Luiza se apaixonou pelo trapézio.





Assim que concluiu o primeiro ano da escola de musicais ela já sabia qual era a parada dela e quis buscar uma aula específica de trapézio. Procura daqui, procura dali até que encontramos a dança aérea e a Ana Luiza encontrou a sua paixão.

A dança aérea normalmente se concentra no tecido acrobático, mas achamos um local em que as aulas de dança aérea contemplam os três aéreos circenses:

- o tecido acrobático onde os movimentos são praticados em um tecido duplo.
 
- a lira acrobática  em que as coreografias são executadas em um aro de metal, uma variação do trapézio.
 
 - trapézio que é a modalidade mais antiga de aéreo circense e queridinho da Ana Luiza.
 
 

Claro que antes conversei com a pediatra sobre essas modalidades de exercícios para saber, se tinha alguma restrição médica, se a prática era adequada à idade da Ana Luiza e coisa e tal. E sim, são atividades que podem ser praticadas desde criança, por pessoas de todas as idades (inclusive eu estou pensando seriamente em experimentar) e que trazem muitos benefícios.

A minha preocupação inicial foi porque os aéreos trabalham muito a musculatura e eu sabia que antes dos 16 anos a musculação não é recomendada, mas diferente da musculação, a acrobacia aérea trabalha todos os grupamentos musculares ao mesmo tempo. Na musculação cada parte do corpo como o abdômen, glúteo, braços e pernas são trabalhados separadamente. Já nos aéreos o trabalho muscular é todo executado ao mesmo tempo e não tem aquela repetição da musculação. 

Além de tonificar os músculos, os aéreos trazem vários outros benefícios como o equilíbrio, flexibilidade e correção postural. E queima gordura também! Eu li que duas horas seguidas de prática desses aéreos correspondem a dois dias de treino de musculação, será?

Eu percebo que esse quase um ano de dança aérea trouxe também mais elegância e graciosidade pra Ana Luiza, além de autoconfiança. Ela chega das aulas sempre contente, contando um movimento novo que conseguiu fazer e isso é uma conquista a cada aula, uma superação, um desafio cumprido. Já pra ela o maior benefício é o alívio no estresse do dia a dia dos estudos.

Tá benefícios tem. E os riscos? E o coração da mãe não fica apertado quando vê a filha pendurada lá nas alturas? Fica sim. E claro que me informei sobre tudo isso, né? O risco de quedas existem sim e são prevenidos nos próprios movimentos que são executados com traves de segurança. Além disso, tem colchões para amortecer as quedas que acontecem de vez em quando, os professores ficam bem atentos e a evolução nos exercícios é gradual de acordo com a habilidade de cada aluno. Normalmente rolam alguns hematomas, mas nada grave. E às vezes pitam umas dores musculares, mas nada que uma massagem de mãe não resolva.

Fico com frio na barriga sim, mas fico feliz de ver a minha filha tão feliz e realizada porque encontrou a atividade física pra chamar de sua parada.








quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A nada mole vida matinal de uma mãe

Mais um "causo" da pessoa que foi postado no FB que os amigos curtiram e então eu resolvi trazer pro blog pra ficar registrado.

Aconteceu em uma manhã como todas as outras.

A pessoa acorda com o dia amanhecendo (não reclama, adora o horário de verão e a oportunidade de ver o sol nascer), faz os seus afazeres matinais como: preparar café da manhã, pentear cabelo da filha, etc, etc. etc. (e bota etc. nisso). E parte se arrumar para trabalhar. Toma banho, lava o cabelo, faz maquiagem sem óculos (ou seja, sem enxergar), coloca os óculos e vê que está com o olho toooodo borrado, limpa tudo, desenvolve uma técnica de se maquiar com cotonete por baixo do óculos (assim consegue ver o que está fazendo), executa a árdua, muito árdua, mas muito árdua mesmo, tarefa de entrar na cinta (ainda precisa usar a cinta por causa da cirurgia), ufa... se veste. Enfim, tira a toalha da cabeça, vai pentear os cabelos e... eles estão duros, secos e esturricados. Nesse exato momento a pessoa percebe que esqueceu de passar o condicionador, só isso, nada mais. Esqueceu apenas do con-di-cio-na-dor! Como? Olha para o chuveiro e passa em sua cabeça uma ideia relâmpago de tirar tudo e voltar para o chuveiro. Será? Ó dúvida... Mas lembra-se do óleo superpoderoso, milagroso, reparador de pontas, frizz, rebeldia, depressão, bipolaridade e tudo o mais que for necessário, e identifica ali a solução para o problema do momento. E para surpresa da pessoa ela não encontra o tal produto que promete milagres. Procura desperada, pede pra São Longuinho e nada... a sua filha adolescente pegou o tal emprestado e, claro, não colocou no lugar. A pessoa então, quase resignada, olha mais uma vez para o chuveiro, se olha no espelho, olha pro chuveiro e... dá um nó no cabelo e ‪#‎partetrabalho ‬assim mesmo.

Mas a pessoa está a fim mesmo de caprichar no visual e quando está quase na porta resolve coltar para colocar a biju nova que ela comprou e ainda não usou. Abre a caixa de bijuterias e cadê o colar, a pulseira e o anel? Estavam ali, exatamente naquela caixa, foi ali que ela os colocou. Revira daqui, revira dali e a pessoa tem um lampejo de memória e lembra-se que no final de semana a filha mais nova quis arrumar as bijus da mamãe querida. Por isso está tudo em novos lugares. Ok, tudo bem, esquece conjuntinho novo em folha que nunca foi usado. A pessoa acaba de reencontrar colar e anel de 15 anos atrás (isso mesmo, 15 anos atrás) que ela nem lembrava mais que tinha. 

Agora sim o visual está completo com nó no cabelo e biju das antigas, mas cheia de recordações.

Ah, tá... vai.. esse nó no estilo despojado-displicente tem tudo a ver com o visual do dia, né?



Essa correria matinal que faz a gente esquecer coisas básicas como passar o condicionador no cabelo, faz parte do cotidiano da mulher moderna e o melhor que a gente tem a fazer é se divertir com os fatos.

Como dizia Charles Chaplin, "Um dia sem rir é um dia desperdiçado.", então bora rir da gente.

PS: A minha amiga Simone Bucker se compadeceu do meu drama, entendeu o âmago da questão (o cabelo não é o problema já que descabelada é o meu estado arrumadíssima), foi Shopping China Brasil e me presenteou com um espelho para maquiagem que aumenta 3x a imagem refletida. Uh hu, já vou conseguir maquiar os olhos sem óculos.  



Viu só, a correria já rendeu um presentinho.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Bolo Peteleco Inglês


Eu estava dando uma volta com a Ana Luiza quando entramos em uma lojinha irresistível, que não me lembro o nome, e lá encotramos um kit para cupcakes com o tema de Londres. Família viajante que somos e que adora cupcakes, claro não resistimos e trouxemos pra casa.

Bolo inglês incrementado

A minha primeira ideia foi fazer uma receita de bolo inglês pra ficar bem de acordo com o tema. Só que a Ana Luiza e a Sofia estão encantadas com a receita do Bolo Peteleco. A solução foi dar um incrementada na receita e fazer um Bolo Peteleco Inglês.

Bolo inglês incrementado

Usamos a mesma base do Bolo Peteleco que a Fernanda Reali tanto fala e apenas colocamos as frutas cristalizadas picadas.

O que utilizamos

- 3 xícaras de chá de farinha de trigo;
- 2 xícaras de chá de açúcar;
- 1 xícara de chá de chocolate em pó;
- 1 colher de chá de fermento químico em pó;
- 1 colher de chá de bicarbonato de sódio;
- 1 xícara de chá de óleo;
- 2 ovos ligeiramente batidos;
- 2 xícaras de água fervente.
- damascos, figos cristalizados, passas brancas e nozes picados


Modo de preparo
Misturamos todos os ingredientes secos: farinha, chocolate em pó, bicarbonato,
açúcar e fermento.
Acrescentamos os 2 ovos levemente batidos e a xícara de óleo.
Misturamos com uma colher até virar um creme. Adicionamos a água fervendo e misturamos bem até a massa ficar com uma consistência de brigadeiro mole.


Arrumamos nas forminhas, colocamos um punhado das frutas picadas em cada um deles.
Levamos ao forno pré-aquecido a 180ºC por aproximadamente 30 minutos.

Os cupcakes saíram do forno lindos, cheirosos e bem apetitosos.


Cobrimos cada bolinho com uma colher de sopa de brigadeiro, salpicamos mais frutas picadas e enfeitamos com as tags dos pontos turísticos de Londres como:

- A cabine telefônica.

Bolo inglês incrementado

- O ônibus de dois andares.

Bolo inglês incrementado

- A London Eye também conhecida como Millennium Wheel (Roda do Milênio) e foi inaugurada em 1999.


Bolo inglês incrementado

- O Guardinha do  Palácio de Buckingham

Bolo inglês incrementado

E ainda tinha o Big Ben que é o relógio mais famoso do mundo, está instalado na torre de St. Stephen, tem 98 metros e faz parte do conjunto arquitetônico do Parlamento Britânico. E a Ponte de Londres.

Nós achamos tudo muito fofo e gostoso.

domingo, 19 de outubro de 2014

BC A Semana - Post #36

Essa foi em que as meninas não tiveram aula por conta do feriado do Dia dos Professores e eu trabalhei normalmente. E foi um tal de amiga vir aqui pra casa, filha ir pra casa de amiga, amiga dormir aqui em casa e filha dormir em casa de amiga. Eu fico feliz com o intercâmbio de valores, costumes e parâmetros de comparação que o convívio com os amigos nos proporciona. Gosto muito de ter as amigas das minhas filhas aqui em casa. E também aproveitamos os nossos momentos.

- Vi o jogo do Brasil com a Xina e a Sofia. Gente, pode ser um simples amistoso, mas sendo jogo da seleção eu torço e vibro como se fosse final de Copa do Mundo. Eu e a Sofia ficamos bem contentes com a vitória do Brasil.



- Aproveitei que a Ana Luiza estava na praia com uma amiga e a Sofia no clube com outra amiga e fui almoçar com o marido. Um programinha só nós dois.


- Comemoramos o Dia das Crianças na Disney Magic Run e contei como foi neste post AQUI.


- À noite foi a vez da Ana Luiza comemorar no show da Banda do Mar e lá fui eu acompanha-la. Também contei como foi essa aventura neste post AQUI.


- Tomamos um café da manhã carinhoso e experimentamos a primeira manteiga ghee feita por nós.


- Ajudei a Sofia a fazer a tarefa do inglês antes de ir para o trabalho. Um momento simples como esse se torna importante porque ela sente que é prioridade pra mim. 


- Esperei a Ana Luiza chegar de uma festa com cupcakes e aproveitei para conversar com ela e me inteirar um pouco dos acontecimentos. Contei neste post AQUI que tem a receita desse cupcake que ficou maravilhoso.


- Fomos à casa da amiga Simone para um happy hour no clima da Patagônia. Como sempre foi muito divertido, rimos bastante, conversamos, aproveitamos para ver algumas fotos da tal festa junto com a Ana Luiza e a Bia.


- Tive a oportunidade de conhecer de perto a Pelo Zero junto com a equipe da Master Mídia, com as sócias da Pelo Zero Tambaú e a blogueira Raka Minelli. Foi um encontro maravilhoso e um almoço delicioso no charmosíssimo Cais do Oriente. Vou contar tudo com mais detalhes em um post exclusivo.




Este post faz parte da Blogagem Coletiva "A Semana" proposta pela Fernanda Reali. Passe lá para ver como foi a semana das outras amigas participantes. Essa blogagem é um estímulo a aproveitarmos mais as nossas semanas.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Mãe na Balada - Show da Banda do Mar

Eu adoro fazer passar um tempo, ou melhor, vários tempos, com as minhas filhas. Só em pensar que estão crescendo, conquistando a independência, alçando voos e ganhando novos espaços me dá um misto de felicidade enorme e uma ansiedade ao sentir que não compartilhei o suficiente. Por isso procuro aproveitar todos os momentos e fases.

Com a adolescência aumenta o interesse pelos amigos e começa um distanciamento normal dos pais. Tendo essa consciência eu procuro dar a liberdade necessária e em contrapartida fico atenta aos interesses das minhas filhas porque percebo que esse é um ótimo caminho para manter a proximidade, o diálogo e entender melhor essa fase.

A Ana Luiza quis ir ao show da "Banda do Mar", um trio formado pelo casal Marcelo Camelo e Mallu Magalhães, e Fred Ferreira, no Circo Voador

Banda do Mar no Circo Voador


Sinceramente eu nem conhecia a banda, e estava ali uma boa oportunidade para eu mostrar interesse pelos interesses da Ana Luiza. Já que eu iria levá-las (a Ana Luiza e mais duas amigas) ao show, eu precisava conhecer as músicas. Nada mais chato do que ir a um show e não conhecer o que se toca por lá.

Passamos a semana com a Ana Luiza me mostrando os vídeos do show, me mostrando as músicas que ela preferia, eu procurei alguns vídeos da banda, falei das minhas músicas preferidas, das minhas amigas que conheciam a banda, busquei algumas curiosidades sobre os músicos e coisa e tal.

E lá fomos nós para o Circo Voador.


Esse foi o primeiro show da banda em solo carioca. O show foi divertido, romântico, leve e descontraído. Tanto o Marcelo Camelo, quanto a Mallu Magalhães são simpáticos com o público e demonstram uma humildade que cativa.

Não se prenderam apenas as músicas da banda e tiveram suas apresentações solo. Ele, Marcelo Camelo, cantou “Vermelho” e “Além Do Que Se Vê”.

Banda do Mar no Circo Voador

Ela, Mallu Magalhães, levou ao palco “Velha e Louca” e “Sambinha Bom”.

Banda do Mar no Circo Voador

Euzinha fui acompanhada da minha amiga Márcia, madrinha da Sofia, já que o Antonio teria que ficar em casa com a Sofia. Aproveitei o show, cantei algumas músicas, dancei levemente em outras, fiquei feliz em ver a animação da Ana Luiza e das amigas, observei o "contexto" para depois conversar com as meninas.


E me diverti observando alguns pais que estavam por lá (eu não era a única que estava acompanhando as crias). Sério, se eu tivesse levado a câmara fotográfica com uma lente com um bom zoom, teria feito um ensaio fotográfico no mínimo muito divertido. Sintam o drama desse aqui.


Por isso eu digo: já que estou na chuva é pra me molhar. Se eu vou ao show levar as filhas, vou com o intuito de me divertir também e por isso faço questão de conhecer e ouvir bastante as músicas e entrar no clima.

Depois do show ainda fomos comer uma pizza na Pizzaria Guanabara, afinal era domingo e tudo acaba em pizza.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
▲ Topo