sábado, 31 de março de 2018

Pintura Garrafas - Vontade danada de mandar flores

"...hoje eu acordei com uma vontade danada de mandar flores..."

Como usar garrafas na decoração

Na verdade, nesta semana eu fiquei com uma vontade danada de pintar flores em algumas garrafas que iriam para o lixo. Mas estava sem inspiração. Tipo com as ideias congeladas. Não conseguia nem decidir as cores de bases.

Daí a minha professora de pintura @odilafreire fez uns sousplats floridos lindíssimos. Eu fiquei  apaixonada pelas flores! A inspiração bateu forte!

Usei as pinturas da professora como base e fiz esse conjunto de garrafas.

Comecei pela garrafa maior e escolhi a cor piscinão. A flor teria a cor da próxima garrafa.

Como reutilizar as garrafas de vinho

Laranja, a segunda garrafa. Mais uma vez a flor teria a cor que apontaria para a próxima garrafa, mas também a cor da anterior.

Garrafas recicladas na decoração

Por último a garrafa fúcsia e na flor a cor das garrafas anteriores.

Ideias de garrafas pintadas a mão

Fechado! Fiquei  babando na obra de arte, toda orgulhosa do meu trabalho.


Ideias para pintar garrafas

Eu gostei tanto de fazer essas garrafas que estou até pensando em acrescentar mais uma em amarelo para florir mais ainda a minha casa.

A arte, sob todas as formas, tem o poder de nos dar felicidade e propósito na vida. Desfrutar da beleza ou criá-la é algo que todos podemos fazer.

Posts de outras garrafas que pintei:


Ainda tem o trio de garrafas que pintei para a minha amiga Gisele e não sei porque não fiz um post exclusivo para esta pintura. 

Ideias para reutilizar as garrafas



Você pode me encontrar também

terça-feira, 27 de março de 2018

A Semana 12 de 2018 - Simples Assim


Eu ando com uma dificuldade para começar a escrever um post, que eu vou te contar... 

Este post da semana era para ter saído no sábado. As fotos já estavam selecionadas, as ideias na cabeça, mas na hora de teclar, nada saía. 

Resolvi então, que vou teclar o que estiver na cabeça e pronto! Simples assim!

No sábado, a minha semana contada aqui vai de sábado à sexta, fui fazer um passeio com o grupo Sou+Carioca. A decisão foi em cima da hora, mas o passeio foi ótimo e me trouxe uma bem estar muito bom.

A família (marido e filhas) queriam fazer nada em casa naquele sábado de sol. E eu queria ir para a rua aproveitar o dia. Foi assim que abri a página do Sou+Carioca e escolhi um dos passeios programados para aquele dia. Como já estava em cima da hora a escolha foi baseada na proximidade. Simples assim!

O circuito foi Outeiro da Glória, Memorial Getúlio Vargas e Praça Paris. Uma delícia turistar pela cidade, saber mais sobre a história, conhecer outras pessoas. 
Conhecer lugares e pessoas muitas vezes nos permite conhecer mais a nós mesmos.


No domingo, último domingo de verão,  mais um dia de sol lindo no Rio e a filharada queria ficar em casa. Aí fiz valer a minha autoridade de mãe e levei para um passeio nas Paineiras com direito a banho de ducha, visual lindo, muito contato com a natureza, macacos e brincadeiras. 
Simples assim!


Para falar a verdade, fiz valer a minha autoridade de mãe meio na base da chantagem emocional. Algo do tipo "puxa vida, eu vou levar vocês ao show da Katy Perry, vou encarar aquele tumulto, e vocês não podem nem me fazer companhia em um passeio tranquilo nas Paineiras...". E funcionou.


No fim da tarde, já bem descansada e energizada pelo passeio da manhã, parti com as filhas para o meu momento "não basta ser mãe e já ter levado as filhas nos dois shows da Katy Perry, no Rock in Rio. Tem que ir no terceiro e encarar a Apoteose sem arquibancada e com banheiro químico.". Mas fiquei de boa, tão de boa que já queria colocar arquinho de orelhas com as letras K e P. 
Dançamos, cantamos, nos divertimos juntas. Simples assim!


Assisti com o marido ao filme "Casa de Vidro 2".  Apesar de não ser um estilo de filme que me atrai muito, eu quis aproveitar a oportunidade de ficar no sofá, comendo pipoca, juntinho e coisa e tal. 
No final a história acabou me pegando. Simples assim!


Filme "Glass House: The Good Mother"

Fui almoçar com uma amiga querida e, como sempre, rolou muita troca. Além de experiências, dicas e incentivo, trocamos presentinhos também. Gentileza gera gentileza. Simples assim!



Já foi comprovado que cuidar das amizades e ter boas ligações sociais é um dos hábitos saudáveis que proporcionam uma vida mais leve e feliz. 

O almoço do dia anterior foi tão bom que repetimos no dia seguinte, proporcionando mais uma boa dose de felicidade e leveza para o meu dia. Conheci um restaurante tradicional da boemia carioca, a Adega Flor de Coimbra, experimentei a feijoada portuguesa deliciosa e saboreei um pastel de Santa Clara. Tudo isso na companhia agradável e sempre interessante da amiga @fernandareali.

Segui a risca a conselho do poeta Sérgio Vaz que estava escrito na parede do restaurante "Enfia o dedo na cara do seu dia e diz: hoje eu vou ser feliz. Quer você queira ou não." Simples assim!


Preparei um risoto a pedido da minha filha. A princípio eu não tinha ideia de qual seria o sabor do risoto. Decidi que seria de frango e fui escolhendo os ingredientes pesando na aparência do prato. 

Açafrão para ficar amarelo, ervilhas frescas para dar um toque de verde, cenoura para riscar de laranja e tomate para salpicar de vermelho.
 
Para enfeitar e demonstrar todo o meu carinho na preparação de uma comidinha especial para alguém muito especial eu fiz corações ...

Um jantar em família cheio sabor e amor. Simples assim!



Para fechar a semana fui comer uma pizza outra amiga querida. O nosso encontro foi ótimo, cheio de desabafos e risadas. 

Fiquei imensamente feliz com a declaração dela no FB sobre a nossa pizza rápida, o bate-papo ligeiro, aquela uma horinha que apesar de ser pouco tempo é muito significativa. Simples assim!


"O difícil é traduzir em palavras o que essa moça aí da foto representa pra mim. Na minha primeira licença maternidade me ligava todos os dias pq sabia a solidão que vivemos nesse período, inclusive no dia do aniversário dela me ligou para me lembrar. Hoje me da bom dia todos os dias e me faz cia até o trabalho. Uma longa jornada. Rimos e choramos juntas. 
Bom demais ter sua amizade Chris Ferreira. Um orgulho a ostentar."




"Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade".



Este post faz parte da BC #ReolharAVida proposta pela Elaine Gaspareto que veio substituir a BC #52SemanasDeGratidão que em 2017 substituiu a BC A Semana que por sua vez já tinha substituído a BC Pequenas Felicidades.




Você pode me encontrar também

sexta-feira, 23 de março de 2018

Risoto Colorido de Frango - Feito com o coração

Olha, me superei nesse risoto! Ficou colorido, bonito e muito gostoso. De comer com os olhos e com a boca. Também, né? Foi feito com o coração!

Resolvi fazer um risoto para a Ana Luiza, mas não sabia de que sabor. Sabia apenas que queria experimentar algo diferente das receitas já testadas.

Como nunca fiz risoto de frango, eu decidi que essa seria a base. Como frango é, para mim, algo meio sem graça, pensei em dar um toque especial colorindo o risoto. Assim temperei com açafrão e usei ervilhas frescas, cenoura ralada e tomates cereja.

Amarelo, verde, laranja e vermelho! Colorido ficou!

Melhores receitas de risoto

Para dar um toque especial e demonstrar todo o meu amor pela minha filha, decorei com um coração crocante de queijo parmesão. Lindo ficou!

Quando demos a primeira grafada, nos surpreendemos! Saboroso ficou!

Como eu fiz? Vou contar!

O que utilizei:

- 2 xícaras de arroz arbóreo;
- 1 1/2 litro de caldo de frango caseiro;
- 2 cebolas média picada;
- 3 dentes de alho picado;
- 30 g de manteiga sem sal;
- 150 ml de vinho branco seco;
- 20 ml de azeite extra virgem;
- 200 g de queijo parmesão ralado.
- 20 tomatinhos cereja cortados ao meio;
- 1 cenoura média ralada no fio grosso;
- 2 punhados de ervilhas frescas;
- sal e pimenta a gosto;
- salsa e cebolinha picadas;
- 2 peitos de frango grandes. 

Como fiz:

Cortei os peitos de frango em quadradinhos. Refoguei o frango cortado em um frigideira com um fio de azeite, um colher de sobremesa de manteiga, uma cebola picada, e o alho picado e reservei. O frango foi finalizado no arroz.

Em uma frigideira de borda bem alta colocamos uma colher de azeite, 30 g de manteiga, uma cebola picada e deixei "chorar”. Acrescentei o arroz e misturamos até os grãos ficarem brilhando. Coloquei 150 ml de vinho, sempre mexendo, e deixei apurar. Assim que o arroz ficou quase seco comecei a adicionar o caldo de frango que estava fervendo. Fui colocando duas conchas de caldo de legumes por vez sempre misturando.

Após 10 minutos de cozimento, faltando 10 minutos para o arroz atingir o ponto ideal do risoto, acrescentei o frango refogado e continuei adicionando uma concha de caldo de frango por vez (até então estava adicionando de duas em duas conchas).

Após 15 minutos de cozimentos, 5 após acrescentar o frango, adicionei a cenoura ralada e as ervilhas, e continuei adicionando a concha de caldo de frango. 

No final do cozimento, aproximadamente 20 minutos após o início do processo, desliguei o fogo, adicionei o queijo parmesão ralado e misturei bem. Finalmente coloquei os tomate cortados. 

Melhores receitas de risoto de frango


Servi nos partos, salpiquei salsa e cebolinha e decorei com o coração de queijo parmesão.

Risoto de frango com legumes

Fazer os corações de queijo parmesão é muito fácil! Fica supergostoso e dá um toque especial de carinho e amor ao prato.

Untei um tabuleiro com um fio de azeite. Preenchi as formas de biscoito em formato de coração com queijo ralado e levei ao forno a 220ºC por 10 minutos aproximadamente. Retirei, deixei esfriar um pouco e retirei com a espátula.

Biscoito crocante de queijo parmesção

Já o caldo de frango eu fiz usando a receita do caldo de carne. Apenas substituí a carne pelo frango.

O que utilizei:

- 1 frango inteiro (aproximadamente 2 kg)
- 3 litros de água;
- 1 cenoura cortada em pedaços;
- 3 talos de aipo;
- 1 cebola cortada em pedaços;
- 2 folhas de louro;
- sal e pimenta do reino preta a gosto.

Como fiz:

Juntei todos os ingredientes em uma panela e levei ao fogo. Assim que a água ferveu, eu abaixei o fogo, tampei deixando uma fresta e deixei cozinhar por uma hora (mais ou menos). Assim que ficou cozido, retirei do fogo, deixei descansar por 15 minutos. Retirei o frango e peneirei o caldo. 

Faço e deixo congelado para quando surgir uma receita. coloco em forminhas de gelo e levo para o congelador. Depois transfiro para sacos plásticos e conservo congelado por até 3 meses.

terça-feira, 20 de março de 2018

Filme Madame - Era uma vez em Paris


Comédia francesa com um toque de humor britânico em um cenário cheio de charme e um tema meio conto de fadas é o que vemos no filme “Madame”, de Amanda Sthers, que tem estreia prevista para 28 de março.

Comédia Francesa - Filme madame


A história, bem ao estilo de era uma vez em Paris, traz um elenco pra lá de sedutor: Rossy de Palma (a musa de Pedro Almodovar), Harvey Keitel, astro de Scorsese, e Toni Collette, que apesar de não precisar de apresentações, seguem algumas: encarna a mãe em “A Pequena Miss Sunshine”, a noiva de “Casamento de Muriel” ou a irmã de Cameron Diaz em “Em Seu Lugar”.

Anne (Toni Collete) e Bob (Harvey Keitel) é um casal de americanos ricos que está passando uns dias na casa da família em Paris. Certa noite, enquanto eles estão prestes a dar um jantar sofisticado para um determinado número de convidados, todos socialites ingleses, franceses e americanos, o filho do primeiro casamento de Bob (Tom Hughes) chega de surpresa. Isso gera um grande mudança no número de convidados fazendo com que a mesa fique com 13 pessoas!

Para Anne, 13 na mesa, jamais! Ela entra em pânico. Assim, Anne decide que Maria (Rossy de Palma), sua empregada, imigrante espanhola, irá completar a mesa fingindo ser uma rica amiga.

Apesar de Maria receber instruções para não chamar atenção para si mesma, para ser mais discreta possível, falar o mínimo estritamente necessário, o temperamento efusivo e latino de Maria chama a atenção de David, um especialista em arte da aristocracia britânica (Michael Smiley).

David, por engano, acredita que Maria é uma princesa espanhola. As tentativas da empregada em corrigir o erro de entendimento são frustradas e o romance segue de vento em popa.

A felicidade de Maria incomoda a Anne e a leva a questionar suas próprias escolhas de vida.




O filme é uma comédia genuinamente engraçada, irresistível. Fala de romance, infidelidades, das diferenças entre expatriados que fazem parte da classe e os imigrantes que os servem. Uma comédia cheia de carisma e frescor.


SINOPSE: "Anne e Bob são um casal rico que decide se mudar para Paris. Chegando lá, se apresentam à sociedade em um grande jantar. A chegada de um convidado a mais faz com que a conta dos presentes seja igual a 13 - um número maldito pelo casal. Eles decidem então arrumar a empregada da família como se fosse uma cidadã da alta sociedade parisiense para espantar a uruca - mesmo que com isso, façam com que tudo dê errado por causa da atrapalhada mulher.".




Você pode me encontrar também

segunda-feira, 19 de março de 2018

Museu e Centro Cultural Casa da Moeda do Brasil



No início deste mês de março foi inaugurado o Museu Casa da Moeda do Brasil, na Praça da República, bem em frente ao Campo de Santana.

Eu que já fico toda feliz a cada vez que um museu ou centro cultural é aberto, reaberto, ou valorizado, fui lá, na hora do almoço, dar uma conferida. 


O Museu da CMB tem como objetivo mostrar em salas de exposições fixas, o acervo da instituição, desde o início de suas atividades ainda nos tempos da Colônia, há mais de 300 anos. 

O Centro Cultural terá sala salas de exposições temporárias, salas multiuso (cinema, vídeo, teatro e conferências) e biblioteca. O projeto prevê, também, loja e um bistrô.

Por enquanto está pronta apenas a parte do museu.  

Logo na entrada nos deparamos com uma estátua representando o moedeiro e como era o processo de fabricação das moedas.


O primeiro elevador elétrico do Brasil todo em madeira. Ai que vontade de me deu de pintá-lo todo colorido...


Um primeira sala mostrando o processo de restauração desse palacete histórico e algumas peças que foram encontradas durante as escavações.


Na segunda sala, onde está o acervo da casa da Moeda em si, logo na entrada, fantasias de mestre-sala e porta-bandeira da Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense.

Mas por que estas fantasias estão ali? O que tem a ver com o museu e seu acervo?

Neste ano de 2018 comemora-se os 200 anos da museologia no Brasil e a Imperatriz Leopoldinense destacou esse tema no seu enredo. Como foi Maria Leopoldina que inspirou a criação do primeiro museu no Brasil, o Museu Real, Pedo I e Maria Leopoldina foram representados no desfile da escola no casal de mestre-sala e porta-bandeira.



Seguindo neste sala encontramos diversas medalhas


e moedas comemorativas de datas importantes, eventos marcantes e pessoas de destaque.


Instrumentos que mostram o processo de confecção das moedas e medalhas. Assim como documentos e fotos.


A terceira sala é destinada a exposições temporárias. Foi inaugurada com uma exposição bem colorida e alegre, do Romero Brito.  


Na saída tem esta cúpula com as medalhas olímpicas dos Jogos Olímpicos do Rio2016.


A parte referente ao centro cultural ainda está com as obras em andamento. Mesmo o museu ainda não estando completo já valeu a pena pela restauração desse palacete de fachada amarela que já abrigou várias instituições históricas importantes.

Foi, no século XIX, sede do Museu Real (atual Museu Nacional), primeiro museu do Brasil. No século XX abrigou o Arquivo Público. 

Este palacete de seis mil metros quadrados, cheio de história, estava há duas décadas abandonado, sob a ação do tempo, apenas enfeiando o cenário da cidade. Mas depois de seis anos de obras finalmente terá um uso melhor e o público poderá usufruir.

Durante a minha visita fui recebida pelo inspetor J.Santos, o federal, que trabalha na instituição há mais de 30 anos. Fiquei contagiada com a felicidade dele em receber visitantes no museu, em fazer eu me sentir bem ali, mostrar as coisas e contar a história. Inclusive a dele que morou no prédio por quatro anos durante as obras, que é tão apaixonado pelo local que tatuou o brasão da Casa da Moeda no peito. 

A visita foi rápida, no máximo 30 minutos. Se está passando por ali vale a pena entrar para conhecer mais da história deste espaço, dar uma olhada no acervo e incentivar iniciativas como esta.

Torço para que o centro cultural seja logo entregue, o bistrô esteja funcionando, exposições interessantes entrem em cartaz e que o museu seja valorizado pelo público. 

Serviço:
Museu e Centro Cultural da Casa da Moeda do Brasil
Pç. da República, 26
Rio de Janeiro, RJ
20211-351
Brasil


Você pode me encontrar também

domingo, 18 de março de 2018

A Semana 11 - Um Ótimo Presságio



Sério, a vida está um loucura! Não falo só da minha, não. Falo no geral. Da tal vida moderna, esse cotidiano corrido, dessa ilusão de que todos precisam dar conta de tudo o que temos para fazer.  

Eu já relaxei em relação a isso, ou melhor, tento relaxar. Tento não me perturbar com essa ilusão de que  vou dar conta de tudo. Não vou e não preciso. 

Pronto?! Simples assim?! Não, nem tanto! Mas procuro, ao invés de me perder em aceitar exigências e cobranças (muitas vezes minhas mesmo) e em me comparar com outras pessoas, focar no que é realmente essencial para mim. 

Uma das coisas que são essenciais para mim, para me fazerem relaxar e evitar o estresse é encontrar, no meu dia a dia, espaço para o prazer, o lazer em família, tempo para mim, para estar com as minhas amigas, para as minhas necessidades exclusivas, só minhas (não estou falando das necessidades, apesar de que para mães até essas são difíceis de serem atendidas com exclusividade).

Tendo essa consciência, além de delegar funções, eu organizo a minha semana para ter dias mais leves com momentos agradáveis que me permitam um olhar de gratidão, momento que me tragam aquela sensação de que "isso é um bom presságio" para o que vem pela frente.

Nesta semana incluí diversos momentos de leveza.

Cinema em família. É indiscutível! Momentos em família são sempre a melhor parte do nosso dia. Principalmente aqueles em que as diferenças ficam de lado e o desfrutamos do gosto comum.

Assistimos ao filme "Pantera Negra" com um balde de pipoca no colo. Tem como não relaxar?! Harmonia em família no final de semana é um ótimo presságio para os dias úteis que virão pela frente cheio de horários e afazeres. 


Levei a Sofia a um show de um Youtuber que eu não gosto. Mas não adianta proibir, o melhor é estar próxima, presente, procurar coisas boas sobre o tal para falar. Assim quando coloco os pontos negativos, o que não é legal, consigo mais credibilidade e fazer com que a minha fala chegue mais a ela. 

Para não deixar a irritação de encarar fila, show cheio, gritaria e muita baboseira, complementamos o programa com passeio de bicicleta no Aterro do Flamengo com direito a paradas para subir em árvore. 

Um programa ao ar livre, exercitar-se, parar a sombra das árvores, ouvir os pássaros e respirar fundo é um ótimo presságio para os demais momentos do dia a dia na selva de pedra com o barulho do trânsito. 


Saí com amigas queridas. Daquelas que a conversa rola solta, sempre com muita troca e aprendizado. 


E sim, bebemos vinho em plena segunda-feira. Quer melhor presságio de que a semana vai ser produtiva e leve ao mesmo tempo do que esse?!


Usei a hora do almoço para quebrar a rotina, colocar algo novo e fora comum para dias de semana. Fui visitar o Museu Casa da Moeda que foi recém inaugurado. Ao invés de usar a hora do almoço para resolver pendências, me dei uma hora de turista. Vou fazer um post sobre esse "almoço" para a alma que foi um ótimo presságio de que os demais almoços da semana seriam muito proveitosos. 


Saboreei com a Ana Luiza um hambúrguer enorme. Muito mais do que saborear o sanduba, saboreei o momento de estar com ela. Muito mais do que não contar calorias, contamos histórias uma para outra.Um ótimo presságio de uma semana cheia de momentos de harmonia em família. E harmonia em família é fundamental para um dia a dia mais leve. Afinal, mesmo com as diferenças que existem (isso é normal), é na família que a gente ser reconhece.


Assisti ao filme "A Livraria". Uma história linda, agradável e com um gosto bom que sentimentos como amizade, carinho e um toque de romance proporcionam. Contei no post "Filme 'A Livraria'".
Um ótimo presságio para uma chegada em casa cheia de sorrisos e uma noite suave.



Este post faz parte da BC #ReolharAVida proposta pela Elaine Gaspareto que veio substituir a BC #52SemanasDeGratidão que em 2017 substituiu a BC A Semana que por sua vez já tinha substituído a BC Pequenas Felicidades.





Você pode me encontrar também

quinta-feira, 15 de março de 2018

Filme "A Livraria"




Assim que eu vi o cartaz do filme “A Livraria”, baseado no livro de Penélope Fitzgerald, eu fiquei com vontade de assistir. Se o cartaz do filme já me fez querer vê-lo, a história despertou mais ainda a minha vontade. 


filme “A Livraria”, baseado no livro de Penélope Fitzgerald


A estreia está marcada para o dia 22 de março, mas a cabine de imprensa já rolou.

“A Livraria” é situado na pequena cidade costeira do sul da Inglaterra, Hardboroug, e conta a história de Florença Verde (Emily Mortimer) uma mulher há 16 anos viúva de guerra, apaixonada por livros, que decide abrir uma livraria em uma propriedade degradada desta pacata província.

Para Florença, a instalação da livraria é mais do que a realização de um sonho, é uma maneira de se reinventar, é uma forma de criar um futuro, porém mantendo o vínculo com o passado. Para os moradores provincianos e conservadores é uma oportunidade para através da literatura abrirem seus horizontes. Porém para Violet Gamart (Patricia Clarkson) este ato é uma ameaça ao seu poder na região.

Sem se preocupar com os prognósticos desfavoráveis, sem dar bola para os conservadores locais e nem temer a ameaça que uma pessoa como Violet pode se tornar, Florence segue em busca do seu sonho e na luta para trazer um pouco de cultura literária para esta cidade que realmente precisa disso.

Assim que a livraria é inaugurada, Florence conquista o seu primeiro cliente. O Sr. Brundish (Bill Nighy). Recluso, viúvo local, bibliófilo que odeia ver fotografias de autores nas contracapas de seus romances, em torno do qual rondam diversas fofocas locais. A relação cliente-fornecedor que começa com a dona da livraria apresentando o autor Ray Bradbury e suas Crônicas Marcianas ao cliente,  estreita-se e encontra apoio quando pressões políticas, a inveja e a falsa moral, colocam o estabelecimento em risco.

“A Livraria” é uma história de determinação, coragem e autoaperfeiçoamento. Mostra uma mulher forte e determinada que enfrenta obstáculos como a ignorância e a inveja com potência, porém mantendo a delicadeza, a gentileza e a sensibilidade. Uma história linda, agradável e com um gosto bom que sentimentos como amizade, carinho e um toque de romance proporcionam.



Sinopse: "Baseado no romance homônimo de Penelope Fitzgerald, 'A Livraria' é situado em 1959. Florence Green (Emily Mortimer) é uma viúva de espírito livre, que deixa o luto para trás e arrisca tudo para abrir uma livraria – o primeiro estabelecimento desse tipo na sonolenta cidade litorânea de Hardborough, Inglaterra. Contra a umidade, o frio e a considerável apatia local, ele luta para se estabelecer, mas logo sua sorte muda para melhor.".



Você pode me encontrar também

terça-feira, 13 de março de 2018

Paineiras - Um ótimo programa de domingo no Rio


A Estrada do Redentor, conhecida pelos cariocas como Paineiras, é um dos lugares mais agradáveis da cidade para fazer um passeio, caminhar, pedalar e curtir o clima da maior floresta urbana do mundo, a Floresta da Tijuca.

Melhores locais para caminhar no Rio de Janeiro




Eu tive um período de convívio bem próximo com esse trecho da cidade que fecha ao trânsito de carros nos finais de semana e fica liberado para o público desfrutar com segurança.

Programa certo de final de semana no Rio era colocar a bike no rack do carro, subir o Cosme Velho, seguir pela Estrada das Paineiras, ralar para achar uma vaga para o carro e enfim chegar na entrada da Estrada do Redentor.

Ali, bem em frente a caveira de burro do hotel Hotel Paineiras que nas antigas foi construído pelo imperador, chegou a ter hóspedes ilustres, como os presidentes Washington Luiz, Getúlio Vargas e Café Filho e também já serviu de local de concentração da seleção brasileira, iniciava a pedalada.

Seguia subindo e pedalando pelos 4,2 quilômetros até a Estrada do Sumaré, trecho que fica fechado para o trânsito de veículos. Voltava descendo pelo mesmo caminho, mas desta vez com direito a banho de ducha.

Eu não sei bem porque, mas esse programa ficou esquecido por mim. Ou melhor, esquecido não, apenas deixado para outro dia, outro dia, outro dia... Com isso passei anos sem desfrutá-lo.

Até que no final de semana passado me reencontrei com as Paineiras. Um domingo nublado, com ameaça de chuva leve, porém abafado, uma luta interna entre a preguiça e a vontade de fazer algo diferente.

A vontade de fazer algo diferente venceu e me levou até este ponto carioca do alto e distante da agitação da praia, e perto da tranquilidade da Floresta da Tijuca.

Apesar de o clima neste dia não estar teoricamente dos melhores para este programa (o melhor seria um dia de sol, sem névoa e com visibilidade) o meu reencontro foi dos melhores! Agradável, revigorante, tranquilo! Com uma sensação boa de paz.

Aquele esqueleto do hotel que entrou em decadência há anos e se tornou apenas ruínas que amedrontavam de tão feias foi reformado e transformado no Centro de Visitantes das Paineiras.


O Centro de Visitantes das Paineiras ficou um espaço bem interessante e digno de ser a porta de entrada dessa estradinha cheia de encantos para os cariocas. Tem lojinha, a área gourmet terá vista panorâmica para a cidade, mirantes com vistas deslumbrantes e uma exposição permanente educativa e interativa, “Floresta Protetora”.


o que fazer no Rio com crianças

Depois de circular pelo Centro de Visitantes, curtir a maquete com a área de floresta do Rio e seus morros e visitar a exposição.
Centro de visitantes das Paineiras

Tranquilamente segui pela estradinha cerda apenas por vegetação nativa do Brasil, nada de palmeiras, nem mangueiras importadas.

Melhores passeios no Rio de Janeiro



Ouvindo os pássaros, respirando profundamente e contemplando a natureza ao redor.

Onde caminhar no Rio de Janeiro

Durante o caminho, tanto de ida, quando de volta, encontrei com vários ciclistas, outro tanto de andarilhos, todos se cumprimentando, desejando um bom dia e trocando sorriso. O clima de tranquilidade naquela estradinha que não passa carros no meio da floresta, tão próximo das tensões urbanas, mas tão oposto, inspira o tratamento gentil.

O que fazer no Rio com crianças

Apreciei a visual da cidade que insistia em surgir, mesmo que timidamente, entre a névoa e as nuvens do dia nublado. O mar ao fundo com as Ilhas Cagarras, a lago em formato de coração lá embaixo tendo o Jockey como vizinho, o verde subindo até os nossos pés e o Cristo logo ali. Coisa linda de ver. Muitas histórias para imaginar. 

Melhores vistas do Rio de Janeiro

E claro que mesmo não tendo levado biquíni não resisti a ducha gelada. Tomei banho de roupa e tudo naquela que os cariocas insistem em chamar de cachoeira.


Cachoeira na Rio de Janeiro

Um passeio para desacelerar, relaxar o corpo e a mente, diminuir os efeitos do estresse, liberar endorfinas. Um reencontro apaixonante com as Paineiras.
Locais para amar o Rio de Janeiro




Não tem mais estacionamento na Estrada das Paineiras, nem no Centro de Visitantes. A forma de chagar é por Vans, táxis ou UBER. Eu optei por ir de táxi e desci de van até o Cosme Velho.



Serviço:

Centro de Visitantes Paineiras
Diariamente, 8h às 19h
Horário especial no período dos Jogos Olímpicos (8 a 17 de agosto): 8h às 22h
Exposição “Floresta Protetora”: Entrada grátis / Classificação Livre



Você pode me encontrar também
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo