sábado, 26 de março de 2016

Escadaria Selarón e seus dizeres


A escadaria Selarón liga o bairro da Lapa a Santa Teresa. Essa escadaria que até a Copa de 94 era apenas uma escada com muitos degraus e que levava ao convento de Santa Teresa passou a ser um ponto turístico, cartão postal do Rio de Janeiro, graças a criatividade de um cidadão.


O artista plástico chileno Jorge Selarón, que morava ali ao lado, resolveu cobrir a escada que estava com seus degraus pintados de verde e amarelo com azulejos. Conforme foi ficando famosa os azulejos de diversas partes do mundo começaram a chegar.


São 215 degraus coloridos que a gente sobe sem sentir.


A escada é superfotogência e um exemplo de criatividade. Banheiras foram usadas no caminho para servirem de canteiros.



Podemos ver diversas fotos da escadaria espalhadas pelas redes sociais. Mas uma coisa que me chamou a atenção e quase não vi fotos foram os azulejos com dizeres, mensagens e provérbios.


Eu fotografei alguns, mas juro que estou com vontade de voltar à Selarón com o objetivo de observar com mais atenção esse tipo de azulejos.

Tem em holandês: Trabalhar para viver ou viver para trabalhar.


Tem os engraçadinhos, como:

Quem bebe fica bêbado, quem fica bêbado dorme, quem dorme não peca, quem não peca vai para o céu, uma vez que estamos indo para o céu, bebemos...


Viva o amor livre, toma a minha sogra e dá-me a sua mulher.



Tem provérbio francês que quer dizer que cada um deve fazer o seu dever sem se preocupar com as críticas.



Apesar de escrito em espanhol, este parece ser um provérbio árabe: 

Não diga tudo o que sabe,  não faças tudo o que pode,
não acredite em tudo o que ouve, p
não gaste tudo o que tem.
Porque
quem diz o que sabe 
quem faz tudo o que pode, 
quem acredita em tudo o que ouve,  
quem gasta tudo o que tem. 
Muitas vezes
diz o que não convém,
faz o que não deve,
julga o que não vê,
gasta o que não pode.


Frases motivacionais, como: o maior prêmio não é ter e sim merecer.


E frases sábias: Há três coisas que não voltam atrás: a palavra dita, a flecha lançada e a oportunidade perdida.


O passeio pelos 215 degraus cobertos com 2 mil azulejos, provenientes de 82 países, acompanhados por paredes também decoradas e pelo jardim suspenso feito com banheiras antigas é bem interessante e divertido, e ainda pode ficar melhor se dali do topo seguirmos para o Parque das Ruínas.


A escadaria se localiza entre às ruas Joaquim Silva, na Lapa, e Pinto Martins, no bairro de Santa Teresa. Está a apenas 5 minutos à pé dos Arcos da Lapa. É aconselhável levar uma garrafinha de água na subida. 
A Autora:
Chris Ferreira

Chris Ferreira

Eu, uma mãe integral mesmo trabalhando em horário comercial, que procura equilibrar os diferentes papéis da mulher com prioridades e alegria.

Acredito que podemos levar a vida a sério, mas de forma divertida e é isto que eu tento mostrar no blog.

Google +

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo