quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Que susto! Ela cresceu e foi para o shopping.


Ver os filhos crescerem é uma sensação maravilhosa e cheia de sentimentos contraditórios. Ao mesmo tempo que dá um tremendo orgulho e uma alegria enorme de vê-los voar, bate um aperto no coração e uma vontade de trazê-los para o ninho. Eu sinto assim e confesso que as alegrias de ver as minhas filhas crescendo, conquistando o espaço delas, se transformando dia a dia, ganhando autonomia e liberdade são bem maiores do que o aperto no coração, a saudade de quando eram pequenas e os medos que batem no coração aflito de uma mãe quando os filhos estão por aí sozinhos. Mas faz parte do aprendizado da maternidade superar os próprios medos e aflições para deixar os filhos crescerem e amadurecerem, né?

De qualquer jeito, por mais que eu vá me acostumando ao crescimento das minhas filhas, vira e mexe eu levo um susto. Um susto do tipo: puxa, eu pisquei e a minha menina cresceu. E foi mais um susto desses que eu tive nessa semana quando a Sofia, a menininha de 10 anos da mamãe aqui, chegou com a seguinte novidade:

- Mãe, eu posso almoçar com duas amigas na sexta-feira?
- Claro que pode filha. Convida as suas amigas para almoçarem aqui em casa. (Santa inocência dessa mãe...).
- Não mãe, a gente quer almoçar no shopping.
- Ah, então deixa para o sábado que eu posso levar vocês. (Coitada dessa mãe, se achando incluída no programa...).
- É que a gente quer almoçar na sexta mesmo e só nós três. É só você pedir para a Rose (que trabalha lá em casa) levar a gente.
- Então tá... (a mãe meio desolada) Vou falar com a Rose e com a mãe das amigas. Elas podem vir aqui para casa e a Rose leva vocês.
- Eu só queria te pedir mais uma coisinha, mãe.
- Pede filha (Nesse momento surgiu uma esperança no coração da mãe, tipo: elas vão querer que eu as leve ao cinema no final da tarde)!
- Você pode falar para a Rose sentar em outra mesa no restaurante e para ficar olhando a gente de longe no shopping? É que a gente quer ficar sozinha. A gente quer fazer tudo sozinha: escolher o restaurante, pedir a comida, pagar a conta.



E passear.




Lá foram elas, todas felizes fazendo o seu primeiro passeio no shopping monitoradas a uma distância segura, mas sentindo o gostinho da liberdade, de estar crescendo, de ser independentes dentro dos limites da idade.

E eu fiquei aqui com uma metade do coração apertadinha, apertadinha, e a outra metade inchada de orgulho. Tá certo que eu já estou um pouco treinada, pois já passei por isso com a Ana Luiza.

São muitos sustos que como mães passamos ao perceber que de repente nossos bebês cresceram mais e mais. Sustos que nos deixam felizes, sustos que enchem nossos dias de emoções, sustos que fazem nossa vida ter mais sentido, sustos que nos dão a certeza de que tudo vale a pena.
A Autora:
Chris Ferreira

Chris Ferreira

Eu, uma mãe integral mesmo trabalhando em horário comercial, que procura equilibrar os diferentes papéis da mulher com prioridades e alegria.

Acredito que podemos levar a vida a sério, mas de forma divertida e é isto que eu tento mostrar no blog.

Google +

Um comentário:

  1. E o tempo vôa e a gente nem se dá conta não é mesmo?!!
    Meu baby está com 1 ano e 10 meses mais acho que os dias estão passando rápido de mais,fico
    querendo aproveitar o máximo que posso :)
    Bjinhus

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo