quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Hearts of Spring - o filme da mãe de adolescente e blogueira

Depois de um dia movimentado, como é a nossa rotina de mãe-mulher-profissional-dona-de-casa, muitas vezes eu quero relaxar no sofá vendo um filme leve, divertido, que me faça relaxar e me distraia da lista de funções do dia seguinte. Nestes casos recorro à NET e vou direto à Rede Telecine, na categoria comédia. Nada melhor do que uma comédia romântica no aconchego do sofá e no escurinho da sala pra dar aquela boa relaxada e fechar o dia com gosto de dia ganho e produtivo.

Ontem eu acabei escolhendo o filme "Amor ao Acaso", que em inglês tem um título mais atraente "Hearts of Spring", por causa da breve sinopse: "Mãe blogueira de sucesso...". Não sei por que, mas as palavras mãe blogueira me fizeram parar a busca e decidir por este.





O filme que conta a história de uma mãe que cria a filha de 17 anos (me identifiquei novamente com a personagem) sozinha e escreve um blog de maternidade "Parenting from the Soul", traduzido como "Criando com Alma" (é claro que corri no Google para verificar se o blog existe), começa com uma comparação entre a maternidade e a carreira na vida corporativa. Até achei interessante a comparação, mas discordei em alguns pontos. Por exemplo, na maternidade as recompensas pelo trabalho bem feito são imediatas, seja com um sorriso dos filhos, com uma abraço, com um "eu te amo", e garantidas. Já nas empresas não é bem assim que rola. Na vida corporativa todos são descartáveis e na maternidade somos imprescindíveis e fundamentais. Mas uma coisa é certa: podemos nos aposentar das nossas carreiras, mas nunca nos aposentamos da maternidade.

Carly Asby, a mãe de adolescente e blogueira de sucesso, também trabalha em uma floricultura. Desde que o seu marido a abandonou ,quando a filha era pequena, Carly criou e cuidou sozinha da filha, Sadie. Carly é adepta da criação através do diálogo, através do respeito e compreensão e sem imposição de regras. São essas as dicas e conselhos que ela dá no blog "Criando com Alma" em que é conhecida como "Mãe Amiga".



Apesar de Carly e Sadie terem uma relação aberta, saudável e de confiança, a adolescente de 17 anos está passando por mudanças e buscando uma amiga para desabafar, para se aconselhar e fazer companhia. Isso deixa Carly ligeiramente abalada ao sentir a filha se afastar um pouco.


Em paralelo, Andy, um pediatra gatão, quarentão, viúvo e que cria o filho adolescente sozinho, se vê em seu consultório com um paciente terrível. Extremamente mal-educado e sem limites. Durante a consulta a mãe do menininho, além de jogar charme para o médico, conta que segue os conselhos da "Mãe Amiga", do blog "Criando com Alma".


Ao chegar em casa o pediatra bonitão, também pai sozinho, adepto da criação mais à moda antiga, tipo linha dura, sem muito diálogo e cheio de regras e limites, não resiste e vai dar uma lida no tal blog.


Andy então revolta-se com os conselhos da blogueira, se intitula "Pai Multitarefado" e deixa comentários contrários, um tanto agressivos, no blog de Carly. Todo o bate-boca virtual, ou melhor, o bate-teclas em relação à criação dos filhos faz com que os acessos ao blog aumentem.

Os dois teclam coisas do tipo:

- "Você acha que dar regras para a sua filha a torna uma ditadora.".

- "Se você não ouvir o seu filho não fique surpreso quando ele parar de te ouvir.".

- "As regras fecham as portas para qualquer discussão, mas compartilhar com seu filho mantém essas portas abertas.".


Enquanto rola o conflito virtual entre a "Mãe Amiga" e o "Pai Multitarefado", Carly e Andy se conhecem na vida real e se identificam por serem pais sozinhos que esqueceram a vida pessoal dedicando-se inteiramente a a criar os filhos que hoje são adolescentes e estão querendo ganhar o mundo por conta própria.

Aí tem que ver o filme para saber como se desenrola a história de Carly e Andy, mas o filme me fez pensar sobre algumas questões, como:

- Abrir mão totalmente da nossa vida pessoal para cuidar dos filhos pode gerar expectativas, frustrações e até ser um risco para a relação futura entre pais e filhos. É superimportante dedicar tempo aos filhos, priorizá-los, mas é fundamental cuidar dos nossos outros papéis, das nossas relações e assim nos prepararmos para deixá-los seguir em frente quando a hora chegar.

No início do filme Carly, quando se vê sozinha na noite do seu aniversário porque a filha foi ao cinema, diz para a amiga: "aproveitar a vida não está no currículo.". Eu acredito que aproveitar a vida e ter uma parcela vida própria independente dos filhos é imprescindível para sermos mais felizes, mais plenas, mais seguras e não jogarmos a carga da cobrança em nossos filhos.

- Os extremos na forma de criação dos filhos geram consequências, têm os seus problemas e o equilíbrio é sempre o melhor caminho. Mas que é difícil o equilíbrio nessa corda bamba de emoções, ah é! Como Carly cita em seu blog "Infelizmente não há escolinhas para a criação dos filhos.".

- Estar aberto a ouvir opiniões contrárias e opostas ao nosso ponto de vista pode trazer grandes aprendizados, ajuda, e até mostrar outro caminho.

- Salvo as situações extremas de violência, abandono e outros absurdos que vemos por aí, seja qual for a sua linha de criação, se esta for feita com amor, você será o melhor pai e a melhor mãe na visão dos filhos. É claro que sempre teremos pontos a melhorar, muito a aprender. Afinal não somos perfeitos.

- E não tem jeito! Todo pai e mãe sofrem com a tal culpa. Mesmo com muitos acertos estamos sempre procurando onde erramos. Isso pode ser até bom se for para buscar aprendizado e crescimento. O que não rola é ficar se martirizando com a culpa.

Em outra passagem do filme a blogueira escreve em seu blog:


"Se você é um jogador de beisebol e acerta uma quantidade de pontos acima da média, eles te colocam no hall da fama.
Se você é um pai que teve a mesma performance, você só pensa onde errou.".

É bem por aí. Estamos sempre buscando o nosso melhor, nos superando, crescendo, aprendendo e errando. Tudo para fazer de quem amamos pessoas felizes, íntegras e capazes de conduzir a própria vida com sabedoria.

Concluindo, achei o filme bem lindinho, leve, simples, bom pra relaxar e ainda me identifiquei como mãe de uma adolescente de 17 anos que está concluindo o ensino médio e com toda a mudança na relação mãe e filha que essa fase gera. Além de me distrair e relaxar, o filme me fez pensar e me ver em diversas passagens.
As atrizes que fazem a mãe e filha no filme são mãe e filha na vida real. Fofo, né?


A Autora:
Chris Ferreira

Chris Ferreira

Eu, uma mãe integral mesmo trabalhando em horário comercial, que procura equilibrar os diferentes papéis da mulher com prioridades e alegria.

Acredito que podemos levar a vida a sério, mas de forma divertida e é isto que eu tento mostrar no blog.

Google +

10 comentários:

  1. Também adoro relaxar um pouco depois do almoço assistindo comédias na TV! A nossa correria do dia a dia de dona de casa, esposa e mãe realmente não é nada fácil! E amei essa dica de filme que você indicou aqui :)
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o tema também Chris!! Vou procurar para assistir!!
      Bjs

      Excluir
  2. Amei a dica é já anotei para eu ver o filme também. Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse filme é já coloquei na minha lista! Eu tbm adoro relaxar no fim do dia e assistir um. Bom filme

    ResponderExcluir
  4. Nossa Chris, amei a dica e ja quero assistir!
    beijos
    Lele

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia esse filme, vou procurar para assistir, me interessei

    Bjs Mi Gobbato @espacodasmamaes

    ResponderExcluir
  6. Fiquei com muita vontade de assistir esse filme. O bom que podemos fazer uma comparação com a gente, né?

    ResponderExcluir
  7. Que legal. Fiquei curiosa para ver o filme!

    ResponderExcluir
  8. Acho legal de curtir com os filhos mais teens. programa legal para curtir com as amigas também.

    ResponderExcluir
  9. Que legal, fiquei com vontade de assistir também. :-)

    Clau

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo