domingo, 9 de agosto de 2015

Museu de Ciências da Terra

Sempre que eu passava pela Avenida Pasteur, na Urca, ficava curiosa com esta imponente construção de estilo neoclássico. Alguém já tinha me dito que ali funcionava um museu. Mas, além de não ter nenhuma placa de identificação, a impressão que temos ao passar pela rua é que está fechado.



Neste final de semana, após um passeio pela Pista Cláudio Coutinho e um mergulho na Praia Vermelha, vi um cartaz tímido anunciando que ali é o Museu de Ciências da Terra. Resolvi então matar a minha curiosidade.

Subimos a escadaria e nos deparamos com um hall de entrada que chamou a atenção. Não é à toa que o museu é também conhecido (por poucos, diga-se de passagem) como Palácio da Geologia.


A área interna é ampla e chama a atenção pelos detalhes.


A rotunda foi recentemente restaurada.


A boa vontade dos funcionários nos cativou e despertou o interesse em visitar o acervo. Além da guia, o segurança foi muito simpático e atencioso querendo nos mostrar tudo e falando com orgulho das peças expostas.


A guia nos mostrou os ovos de dinossauros, sendo alguns fósseis verdadeiros.


E outros réplicas.


São quatro exposições permanentes:

1 - Llewellyn Ivor Price + 100, um Paleontólogo – mostra sobre a vida de um grande paleontólogo que deixou um legado científico e cultural para o Brasil.

Nesta área o que mais chamou a atenção das meninas foi a mandíbula de um crocodilo gigante que ficou mais interessante ainda sendo observada pela lupa.


Para elas que acabaram de estudar sobre fósseis e paleontologia na escola foi superinteressante ver que o Brasil é um país muito rico nessa área.


2 - No Tempo dos Dinossauros – acervo de vertebrados fósseis que viveram no Brasil durante a Era Mesozoica, suas origens e descendentes até os dias de hoje.

Na cena de 225 milhões de anos atrás a mamãe dino defende o seu filhote de um predador. As mães são protetoras desde sempre!


A mãe é um fóssil verdadeiro. Já o filhote e o predador são réplicas.


Caminhar por histórias tão antigas mexe com o imaginário, desperta a curiosidade e o interesse não só pelo o que aconteceu no nosso planeta, mas também no que pode vir pela frente.

3 - Dinossauros do Triângulo – acervo de vertebrados fósseis encontrados no Triângulo Mineiro.

Nesta área tem um cenário mostrando a acampamento de um paleontólogo que foi um dos pontos altos da visitação.


4 - Mostra Mineralógica e Petrográfica - São cerca de 7 mil amostras de minerais brasileiros e estrangeiros, pedras de todas as cores, formatos e nome diferentes.

A todo o momento uma chamava: "vem ver essa que linda!".


"E olha essa que diferente!"


E lá estava o segurança simpático e dedicado mostrando algo interessante.


Um cartaz chamou a atenção.


Quanta coisa ao nosso redor vem da mineração e a gente nem se dá conta disso.


Muita informação, muito conhecimento novo e muita diversão.


Ao final do passeio elas ainda ganharam folhas com cenas de dinossauros para colorir e minivasinhos com flores.


Não é muito simpático?


Na saída nos deparamos com a vista do Morro da Urca.



Para quem vai ali na Urca fazer um passeio no Pão de Açúcar, caminhar na Pista Cláudio Coutinho, dar um mergulho na Praia Vermelha ou fazer qualquer outra coisa, vale muito a pena reservar uma horinha para visitar o Museu de Ciências da Terra que possui um dos acervos de geologia e paleontologia mais ricos da América Latina (incrível né? Isso está logo ali ao nosso alcance e quase ninguém conhece). São cerca de 7 mil amostras de minerais brasileiros e estrangeiros, além de 12 mil rochas, meteoritos e fósseis, que somam mais de 100 mil espécimes.

É um espaço pequeno, pouco conhecido, que ainda precisa de melhorias, mas que merece a visita e o nosso incentivo. Visitar o museu é uma forma de estimular o investimento nele e as melhorias.

Como disse o nosso amigo segurança: "o museu precisa de gente o visitando, contem pros seus amigos e falem para eles virem aqui.".

Serviço:
Endereço: Avenida Pasteur, 404 - Urca
Telefone: (21) 2295-7596
Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 16h. Atendimento:
A entrada é gratuita. A visita de grupos deve ser agendada por telefone.

A Autora:
Chris Ferreira

Chris Ferreira

Eu, uma mãe integral mesmo trabalhando em horário comercial, que procura equilibrar os diferentes papéis da mulher com prioridades e alegria.

Acredito que podemos levar a vida a sério, mas de forma divertida e é isto que eu tento mostrar no blog.

Google +

3 comentários:

  1. Chris, que lindo esse museu, pena não fazerem mais divulgações.
    Com certeza o segurança e a guia ficaram muito felizes em receber a visita de vocês.
    É como você ter muitas coisas legais na sua casa e desejar que cheguem visitas pra você compartilhar.
    Que mais pessoas e escolas, grupos de amigos, façam visitas em lugares com tanta história pra se ver.
    Beijos e uma feliz semana.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o passeio, meus filhos iriam amar ver os ossos de dino ! Parabéns por leva-las e um dia quando foi ao Rio com certeza este passeio estará na lista.
    Beijos!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  3. Chris, você como sempre nos trazendo dicas de lugares bacanas na nossa cidade, realmente parece valer a pena a visita. Confesso que não conhecia, mas já entrou para minha lista de lugares para explorar! Beijos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo