sexta-feira, 22 de maio de 2015

Parque Lage que poucos conhecem - Trilha das Cachoeiras


O Parque Lage é um passeio clássico, quase obrigatório, aqui no Rio. Além de ser lindíssimo, é carregado de história e contato com a natureza.


O passeio tradicional pelo Parque Lage passa por atrações como o Palacete, os jardins, o aquário, as grutas artificiais, a torre, o Lago dos Patos e o parquinho, que as crianças amam.


Mas no Parque Lage tem algo mais que poucos conhecem: as trilhas. Bem ao lado da torre (castelinho), que as minhas filhas diziam que era a torre da Rapunzel, tem a escada que leva à entrada da trilha para o Corcovado.


Quem quiser seguir por esta aventura precisa passar na casinha da guarda e comunicar a subida.


Os nossos dados serão anotados e receberemos um mapa com instruções para seguir até o Corcovado por um caminho bem demarcado, entre a mata


e acompanhado por muitos macacos-prego.


Nessa trilha para o Corcovado tem um atalho, não anunciado, nem sinalizado, que leva às cachoeiras.
Logo na primeira plaquinha que indica que a trilha para o Corcovado segue à esquerda, nós seguimos em frente.


Rapidamente encontramos um córrego que servia para a antiga fazenda de café. Nessa semana ele estava com pouca água, devido ao grande período de seca e as poucas chuvas que tivemos durante esse ano.


Mais adiante nos deparamos com essa construção de 1886 que, segundo a história do parque, servia de bebedouro para os cavalos na época em que a área servia como fazenda, antes de ser reflorestada.


Seguimos pela trilha e encontramos a primeira queda d'água, também com uma construção de 1886.


É uma pena vê-la assim com tão pouca água. Mas vale a aventura.


O lago que gera a queda acima também estava com pouca água, mas dá para perceber a transparência e contemplar a natureza ao redor.


Com flores e borboletas que eu não consegui fotografar.


Seguindo adiante, a trilha tem um momento mais escorregadio, mas é tranquila. Sempre tem cipós e troncos de árvores pra gente apoiar. Crianças a partir de uns cinco anos já tiram de letra.


Aí chegamos à segunda cachoeira. Essa já é um pouco maior, escorre de uma grande pedra e tem três platôs.


Um local gostoso para se refrescar, relaxar,


observar a natureza e o visual. Daqui, deste ponto, já conseguimos ter uma vista bem legal da Lagoa Rodrigo de Freitas. 
Aqui também vimos, além dos macacos e micos, muitos pássaros. Este arbusto florido estava repleto deles.


Depois do descanso seguimos na trilha para a próxima cachoeira.


E depois de caminhar por uma subidinha, por no máximo cinco minutos, já conseguimos visualizar a queda ao final da trilha.


Mesmo com a falta de água, esse poço está maior e dá até para um mergulho bem raso.


Neste ponto a vista também é linda. Podemos ver a Lagoa Rodrigo de Freitas e um pouco do mar de Ipanema.


Depois da selfie seguimos o caminho para reencontrar a trilha para o Corcovado. A entrada é bem aí nesta placa de perigo mesmo.
Na verdade este trecho é bem curto e não oferece risco. A placa está aí porque uma pessoa caiu e faleceu neste caminho, mas não se sabe se ela passou mal e por isso caiu. Pessoas já faleceram porque caíram de bicicleta na ciclovia em Copacabana. Toda caminhada, mesmo nas calçadas, oferece algum risco. A questão é estarmos atentos e cuidadosos.


Caminhamos por aproximadamente dois,três minutos e chegamos de volta à trilha do Corcovado. Subindo seguimos em direção ao querido Cristo Redentor, descendo retornamos ao Parque Lage.


Observe que a trilha do Cristo é sinalizada com placas e setas nas árvores. Deu pra ver a seta amarela marcada na árvore?


Se bater o cansaço podemos fotografar, ou até sentar em algum banco de tronco de árvore e fazer uma leitura. Eu amo ler no meio da mata. Imagina contar para as crianças a história de João e Maria sentada aí neste banquinho?


Neste dia eu ainda queria fazer a trilha da esquerda do Lago dos Patos. Se continuasse pelo caminho de volta na trilha do Corcovado eu chegaria lá na casinha da guarda novamente e teria que seguir a esquerda para chegar ao Lago dos Patos e depois subir a escada. Então pegar outro caminho. Neste ponto, ao invés de virar à esquerda, seguindo a marcação da trilha do Corcovado, peguei esta entrada à direita.


Caminhei mais alguns minutinhos e já avistei o Lago dos Patos lá embaixo.


Aqui no alto, peguei a trilha que para mim estava em frente, mas para quem sobe as escadas é à esquerda.


Esse caminho é bem marcado e tem um fim de linha em um pequeno mirante com vista para a Lagoa.


Na volta o nosso amigo estava lá posando para fotos.


Eu já falei dos nossos passeios ao Parque Lage em alguns posts aqui no blog. Também falei do café da manhã por lá que era muito bom, mas agora houve uma mudança de restaurante e ainda não experimentamos o Café Plage. Mas já gostei da inovação de colocar a barraquinha para quem quiser algum lanche rápido. Eles oferecem sanduíches, refrigerantes, água, saladas e brownie. Eu experimentei o brownie e o sanduíche e gostei.


Vale muito a pena curtir o Parque Lage por outro ponto de vista e fazer as trilhas, mas é importante alguns cuidados:

1 - fazer o caminho a primeira vez com alguém que conheça;
2 - sempre avisar na casinha que está indo fazer a trilha;
3 - seguir a trilha acompanhado;.
4 - levar água. Eu tenho a informação de que podemos beber a água das cachoeiras e eu até bebi, mas o ideal é levar sempre uma garrafinha de água;
5 - passar repelente;
6 - ir de tênis.

Outros posts sobre o Parque Lage aqui no Blog Inventando com a Mamãe:


Posts de outros blogs:


A Autora:
Chris Ferreira

Chris Ferreira

Eu, uma mãe integral mesmo trabalhando em horário comercial, que procura equilibrar os diferentes papéis da mulher com prioridades e alegria.

Acredito que podemos levar a vida a sério, mas de forma divertida e é isto que eu tento mostrar no blog.

Google +

11 comentários:

  1. O Parque Lage é lindo, E ass trilha que vocês fizeram deve ser bem bonita também.

    ResponderExcluir
  2. Chris que passeio fantástico esse que você fez. Estar em contato tão próximo com a natureza nos faz muito bem e eu gosto de ver o seu perfil aventureiro e ousado.

    ResponderExcluir
  3. Que lugar mais lindo
    passeio bom
    amo passeio em contato
    com a natureza

    Lindo Domingo!!
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas

    ResponderExcluir
  4. Oi, Chris! Que lugar lindo! Adoro trilhas na mata! Deve ter sido bem divertido...
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Que lugar lindo... sempre vejo nos programas de tv... um verdadeiro sonho!

    ResponderExcluir
  6. Que lugar lindo... sempre vejo nos programas de tv... um verdadeiro sonho!

    ResponderExcluir
  7. Amei as dicas. Já fui no parque mas nunca fiz trilha. Na próxima vez vou fazer essa trilha com certeza!

    ResponderExcluir
  8. Amei as dicas. Já fui no parque mas nunca fiz trilha. Na próxima vez vou fazer essa trilha com certeza!

    ResponderExcluir
  9. Oi Chris para fazer a trilha até o cristo vc precisa guia ou pode fazer sozinho mesmo?

    ResponderExcluir
  10. Oi Chris para fazer a trilha até o cristo vc precisa guia ou pode fazer sozinho mesmo?

    ResponderExcluir
  11. Cachoeiras imperdíveis que você não pode deixar de visitar nesse verão para ser assaltado! Levada pela curiosidade de conhecer novos lugares e tbm fugir dos arrastões do Rio fui conhecer ontem a famosa cachoeira do Horto dentro do Parque Lage, um lugar com segurança e movimentação. Ao chegar na trilha nos deparamos com as 3 quedas secas! É um grupo de marginais que passaram o dia ali praticando seu crime em grupo. Ao todo foram 37 pessoas assaltadas entre turistas e nativos. Agora eu me pergunto se vale a pena sair de casa? Na praia tem arrastão, numa trilha tem arrastão (que surreal). Levaram de nós até o chinelo. Conclusão: Vale a pena se arriscar? Pobre tem que ficar em casa mesmo, não pode sair pra se divertir e tbm não tem pra onde fugir. A gente fica refém de marginal que a sociedade se presta a defender.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pin It button on image hover
▲ Topo